Baía das Gatas 2013: ouro nacional e da lusofonia para prestar tributo a Jotamont

26/07/2013 00:53 - Modificado em 26/07/2013 16:14

Baía das Gatas 2013O cartaz para o Festival Internacional de Música da Baía das Gatas já está a ser definido pela CMSV. Este ano, a 29ª edição do festival vai homenagear Jorge “Jotamont” Fernando Monteiro, num ano em que se comemora o centenário do músico. O ponto alto do festival apontado pela organização é a abertura a ser feita pela Banda Municipal orientada por Tito Paris e mais vozes de São Vicente que cantam Jotamont: Titina Rodrigues, Jorge Sousa, Diva Barros, Constantino Cardoso e Manecas Matos, num tributo ao homenageado que foi mestre da Banda Municipal.

 

A 29ª edição Internacional de Música da Baía das Gatas traz no seu cartaz representantes da música nacional e lusófona. Orçado em 30 mil contos, pelo palco da Baía 2013 vão passar Cordas do Sol, Jorge Neto, o rapper Batchart, mas o cartaz não está fechado a nível regional, na medida que a comissão organizadora está a seleccionar grupos musicais da ilha de São Vicente.

 

Por outro lado, o festival vai receber artistas da lusofonia como a Banda Calypso do Brasil, Santos e Pecadores de Portugal, o grupo Big Brother de Moçambique constituído por Stewart, Sukuma, Mingas, Neyma, Sizaquiel e Dilon Djindjim e da Guiné-Bissau, Super Mama Djombo. E a nível internacional no estilo Zouck vai estar Face a Face e, para os amantes do reggae, Alpha Blondy é o escolhido.

 

Humberto Lélis, vereador da Cultura explica que a Câmara Municipal de São Vicente vai suportar metade do orçamento estimado para o festival e que a outra metade será disponibilizada pelos patrocinadores que terão a exclusividade na representação dos seus produtos e serviços na Baía das Gatas.

 

O vereador da Cultura sublinha que a 29ª edição do festival da Baía das Gatas terá algumas inovações na “qualidade do palco e no espaço de modo a dar uma nova imagem à festa da música no Mindelo”, como um complemento no palco de modo a abrigar e prevenir eventuais chuvas, um espaço de informações sobre o festival e publicidade dos patrocinadores, além de melhorias no sector da restauração

  1. Luiz Silva

    O FEstival de Baia devia ter por objectivo reunir a familia caboverdiana de forma a permitir o inventario cultural e economico dos caboverdianos e em especial os Mindelenses dispersos por todo o Mundo. Como se vê este Festival em vez d’acolher musicos da diàspora se preocupa com musicos estrangeiros e lusofonos. Não seria possivel dispensar uma tarde à creatividade dos emigrantes? Que seria de Mindelo e da nossa musica sem os emigrantes Mindelenses da Voz de Cabo Verde e a Cesaria Evora?

  2. porra,

    sempre os mesmos: Tito Paris, Titina Rodrigues, Jorge Sousa, Diva Barros, Constantino Cardoso e Manecas Matos. manecas matos? eu mereço

  3. emigrante indignado

    Os artistas emigrantes, excluidos da Naçao e do Festival da Baia, deviam organizar o seu proprio festival de emigrantes em São Vicente. Essa invasao de artistas estrangeiros em detrimento dos artistas da nossa diàspora, demonstra mais uma vez o desinteresse e o despreso da Câmara Municipal de São Vicente pelos artistas da emigraçao. A Câmara Municipal deve repensar a politica do turismo e do investimento dos emigrantes fazendo da cultura caboverdiana o seu cavalo de batalha. Viva a Regionalizaça!

  4. Admilson coronel

    impossível agradar muita gente…por mim ta no ponto FACE FACE e ALPHA BLONDY sao dos meus…força soncente

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.