Adolescente de 14 anos foge pela segunda vez do Centro Orlando Pantera

25/07/2013 00:01 - Modificado em 24/07/2013 23:28
| Comentários fechados em Adolescente de 14 anos foge pela segunda vez do Centro Orlando Pantera

centro juvenil correcionalEstá a ser procurado pelas autoridades, o adolescente que fugiu do Centro Socioeducativo Orlando Pantera, na ilha de Santiago. O adolescente de 14 anos, foi enviado pelo Juízo Cível da Comarca de São Vicente por prática de delitos e, pela segunda vez, voltou a pular o muro de protecção do centro, pelo que o seu paradeiro continua incerto.

 

Na noite de quarta-feira, um adolescente da ilha de São Vicente que está a cumprir uma medida de internamento no Centro Socioeducativo Orlando Pantera aproveitou de um corte de energia eléctrica para fugir do espaço. Esta foi a segunda fuga do menor que está há seis meses no Centro Socioeducativo onde cumpre um programa de reinserção social.

 

Jacob Vicente, director-geral dos Serviços Penitenciários e de Reinserção Social em declarações à RCV confirmou a fuga do adolescente e assegurou que foram accionados os mecanismos para encontrar o menor para que este seja encaminhado para o Centro Socioeducativo Orlando Pantera.

 

“Veio de uma família completamente desestruturada e desde que chegou de São Vicente nunca recebeu a visita de familiares. Este adolescente nunca conseguiu ultrapassar a fase de aceitação do internamento, isto quer dizer que ele está sempre em conflito consigo mesmo. Temos secções de psicoterapia no centro, de lazer e de estudos. Mas são crianças que vêm com problemas para o centro, pelo que nos cabe a nós trabalhá-las”.

 

A fuga do adolescente veio trazer a público a questão da segurança no Centro Socioeducativo Orlando Pantera que alberga onze rapazes e uma rapariga e que clama com urgência por uma solução, na medida que o espaço não oferece as melhores condições de internamento. Jacob Vicente garante que a situação tem os seus dias contados, uma vez que a solução vai passar pela construção de um novo centro para responder às demandas de um centro de recuperação que trabalha com crianças em conflito com a lei.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.