Agentes cabo-verdianospodem ser julgados no tribunal militar

24/07/2013 00:43 - Modificado em 24/07/2013 00:43

balança1A Ministra da Administração Interna, Marisa Morais disse,na semana passada,que o Governo tem acompanhado a situação esperando o melhor desfecho possível da situação e que seja reposta a legalidade internacional. Parece que a ministra se enganou duplamente: a situação dos agentes piorou e Bissau continua a tratar o direito internacional como papel higiénico. Isto tendo em conta que os dois agentes do serviço de fronteiras detidos desde o dia 13 pelas autoridades da Guine – Bissau arriscam-se a ser julgados por um Tribunal Militar. Isto de acordo como o blogue a ditaduradoconsenso do jornalista guineense António Aly Silva”.O Procurador-Geral da República, Abdú Mané, disse hoje que os dois agentes da Policia de Migração de Cabo Verde vão ser julgados no Tribunal Militar. No seu auge de incompetência e de arbitrariedades, Abdu Mané afirmou que os dois agentes são acusados de crimes contra a segurança do Estado” O jornalista revela que o director da Policia Judiciaria da Guiné Bissau pode ser demitido “ devido à sua recusa de dar uma conferência de imprensa para acusar os dois agentes tal como era exigido pelo PGR Abdu Mané e o Ministro da Justiça.

 

Deprimidos

Contactados pela agência Lusa, os advogados que defendem os polícias cabo-verdianos, Salomé dos Santos e Franklin Vieira, disseram desconhecer qualquer decisão do Ministério Publico sobre a matéria por ainda não terem sido notificados.Ainda hoje demos uma conferência de imprensa a pedir ao Ministério Publico que acelere o processo, porque depois do primeiro interrogatório aos nossos constituintes ainda não fomos notificados do despacho para que possamos saber de que tipo de crime são acusados”. A advogada adiantou a Lusa que “Estão deprimidos porque esta situação é de todo insuportável para eles, porque na verdade não estão a compreender o que se passa. Vieram cá apenas no cumprimento de uma missão normal no âmbito das suas actividades de polícia

 

 

 

 

 

  1. Jacques DUCELLIER

    Isso aparece estar uma vigança da parte do governo guineens pela ajuda do cabo-verde pela ajuda ao americano pelo caso contre-amiral José Américo Bubo Na Tchuto.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.