Não existe controlo da carne que é consumida : como saber se é carne de vaca , cabra ou… humana ?

22/07/2013 00:03 - Modificado em 21/07/2013 23:38

carneO abate e a venda de carnes na cidade do Mindelo continua a ser “um risco para os consumidores”. E está numa terra de ninguém onde ninguém assume as responsabilidades no controlo e fiscalização. E vamos comendo o que nos parecer ser boa carne . Isto numa cidade onde um psicopata disse que matou uma mulher e vendeu a sua carne.

Em matéria de fiscalização, o cenário não é dos mais animadores: deuma lado há a Câmara Municipal que, apesar de não descurar a sua função de fiscalizar a qualidade e a proveniência das carnes, diz ser um assunto que só será resolvido com a coordenação entre o município e as demais entidades com responsabilidade em matéria; do outro, há o Ministério do Desenvolvimento Rural (MDR) que arremata esta função para as autoridades municipais. Por último, existe a Inspecção-Geral das Actividades Económicas (IGAE) que não reage perante as perguntas e inquietações dos consumidores que  estediário online lhe coloca sobre o assunto.

De onde vêm as carnes que chegam em casa dos consumidores?

O NN, em entrevista com os proprietários de talhos da ilha de São Vicente, constatou que grande parte da carne vendida é importada do estrangeiro ou então provém de matadouros privados. “Nós não podemos depender do talho municipal, porque não tem capacidade para dar resposta à demanda”, explica o gerente do Talho Pimentas Talhos e Verduras. Por esta razão, adianta que optaram pela produção própria. “Temos um horto na Ribeira de Julião onde também criamos animais como vacas e carneiros”, afirma, sublinhando, entretanto, que têm vindo a abastecer-se nos fornecedores da ilha de Santo Antão e de São Vicente. O cenário repete-se noutros talhos como no Fauna e no Talho situado na Rua de Lisboa. Mas também constatamos que muitos particulares / criadores matam os seus animais vendem porta á  porta . Particularmente no que diz respeito a carne de porco .

Fiscalização

A fiscalização nos estabelecimentos de venda de carnes “não tem sido objecto de inspecção regular por parte das entidades responsáveis”. Quem o diz são os próprios proprietários dos talhos que confirmam a irregularidade com que são visitados pelos agentes responsáveis pela fiscalização. “O MDR esteve cá, mas já faz algum tempo”, sublinha a proprietária do Talho Fauna, Maria Gregória. Entretanto, adianta que tem um veterinário particular que cuida dos animais e que faz a inspecção da carne antes da mesma ser colocada à venda.

A delegada do MDR, Janina Almeida, contactada pelo NN, responde que “não é da competência” do referido Ministério fiscalizar os talhos e matadouros da ilha. Entretanto, diz que têm sido feitas “fiscalizações esporádicas nos talhos da cidade e também no cais. Almeida avança ainda que é intenção do MDR reforçar a sua intervenção nesta matéria. Para esse efeito, diz ter enviado “uma carta à CMSV para propor uma parceria de forma a reforçar a fiscalização na ilha, mas até à data, não tivemos nenhum feedback”. Sobre isto, o Vereador do Planeamento Territorial da CMSV, Rodrigo Rendall, diz não ter conhecimento e sublinha que a questão da inspecção “depende de um trabalho conjunto entre a Câmara, a Delegacia de Saúde, os próprios empresários da área e os criadores de animais”. O vereador sublinha, entretanto, que “a Câmara tem feito um esforço no sentido de sensibilizar as pessoas a levarem os seus animais para o Matadouro Municipal que reúne, de facto, as condições necessárias para o abate”.

  1. Se não existe controlo é melhor não comer

  2. Cidadaocv

    Não podemos entrar em “parafuso”. Também não podemos confiar cegamente nos “comerciantes de carne”. Sabemos que nos negócios há gente honesta, mas também há muita gente desonesta. Eu pessoalmente não sou muito fã de carnes vermelhas, pela sua potencialidade de transmissão de muitas doenças. Prefiro carnes brancas, aves, (Galinha, peru, ….) são mais saudáveis e não suscitam muitas dúvidas.

  3. mário

    Melhor é nao comer carne enquanto nao temos certeza de que carne se trata.

  4. Marcela

    Eh a pura verdade a não existencia de controle de carne em SV… Ha dias comprei no mini-mercado Galina em SV, carne que me garantiram que era de porco, com o objectivo de fazer uma boa cachupa!!! Enganei-me… quando fiz a cachupa verifiquei que a carne não era de porco coisa nenhuma, mas parecia ser de vaca!!!!… resultado…. ninguém comeu com medo de ser humana!!! Isto porque não tem controle nenhum…!!!

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.