Uma dor de cabeça para muitos mindelenses

22/07/2013 00:00 - Modificado em 22/07/2013 01:07

Falta de dinheiroO Notícias do Norte saiu à rua para saber a opinião dos funcionários públicos acerca da devolução do IUR (Imposto Único sobre o Rendimento) em atraso desde 2008. Apesar deste imposto estar a ser devolvido desde a semana passada, existem ainda muitas reclamações por parte dos contribuintes são-vicentinos. Vários trabalhadores reclamam que o valor recebido não corresponde ao dinheiro enviado pelo Tesouro. Outros dizem que ainda nem viram “a cor do dinheiro” e nem tiveram nenhuma explicação por parte das Finanças de São Vicente.

O Tesouro começou a efectuar a devolução do Imposto Único sobre o Rendimento (IUR) aos trabalhadores, colocando assim, um ponto final nesta demora de cinco anos.

Lurdes Cruz fez questão de afirmar à nossa reportagem que esta devolução do IUR referente ao ano de 2008 é confusa.

“Há dias fui consultar a minha conta bancária. O montante que constava da notificação não era o que eu esperava receber. Exijo que o restante seja depositado na minha conta”.

Lurdes critica a forma como foi repartido o valor pelos trabalhadores, “conheço gente que ainda não recebeu nenhuma parte do dinheiro e outras em que o valor depositado não corresponde ao esperado”, conclui.

Hirondina Pires é da opinião que deveriam fazer esta devolução do IUR atempadamente. ”Eu acho que deveria ser entregue aos contribuintes sem atraso. Isto pelo facto de já ter entregue os documentos referentes ao ano de 2012 e que deveria estar a receber o IUR de 2009”, conta. Ainda de acordo com a mesma, “não recebi o dinheiro e nem obtive nenhuma explicação do não pagamento por parte das Finanças”, afirma.

Jorge Fonseca também está à espera da devolução do IUR há cerca de cinco anos.

Este contribuinte critica a forma como foi implementado o sistema de pagamento que faz com que uns recebam a mais e a menos e outros que não recebam nada.

“O processo está confuso. Eu ainda nem vi a cor do meu dinheiro que espero há cinco anos”.

Por seu turno, Anselmo Alves confessa a sua insatisfação pelo atraso de cinco anos e que, segundo o nosso entrevistado, é um absurdo. Alves declara que “se fossem os funcionários a atrasarem-se na entrega do modelo 112, estes seriam penalizados. Eu só quero o meu dinheiro de volta”, reitera.

 

  1. pantera

    Segundo um comunicado de imprensa dado pelo MF cito, ” processo de restituíçao do IUR de 2008, decorreu normalmente e sem constrangimento e que foi notificado a todos os contribuintes que cujas as liquidações sofreram alterações e que tinham um prazo de 30 dias para reclamarem”, é simplesmente falaciosa.No meu caso, o valor do IUR recebido não corresponde ao valor do modelo 6/A, com uma diferença para – de 9 000$00, e nunca recebi quaisquer notificação e ainda estou a espera dos juros de demora.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.