Familiares de “Sintanton”:“ não o recebemos ,pois iria ser morto pela população “

18/07/2013 00:20 - Modificado em 18/07/2013 00:41

VelasOs familiares de João Dias, de 82 anos, conhecido por Sintanton e que assassinou a cidadã Elsa Almeida com um tiro na cabeça, afirmam que não estavam à espera que o Tribunal soltasse o idoso, depois deste ter morto uma mulher. A família do autor da morte de Elsa lamenta a situação, mas sublinha que João Dias deve pagar pelo seu acto. E justificam que não o aceitaram porque temeram pela segurança dos parentes e também para evitarem um linchamento popular em Vila Nova.

Contactada pelo NotíciasdoNorte, Conceição Dias, filha de João “Sintanton” Dias que assassinou a tiro uma mulher de 33 anos que vivia como inquilina na residência do cidadão, confirmou que quando o pai foi colocado em liberdade na segunda-feira, a Polícia levou-o para a sua habitação que fica na residência de João Dias.

Conceição Dias explica que em sintonia com os familiares, optou por não receber o pai porque teve receio que as pessoas de Vila Nova lhe invadissem a casa para omatar “Não estávamos à espera que o Tribunal soltasse o nosso pai na medida que ele matou uma mulher. E quando ele veio para casa, não o podíamos acolher porque tínhamos a noção da revolta da população de Vila Nova que pedia a sua morte. No meu caso, agi a favor da minha segurança e da dos meus filhos e o que eu disse à Polícia foi: levem-no daqui porque a população quer matá-lo e eu e os meus filhos não queremos ser vítimas do seu comportamento”.

Os familiares de Sintanton lamentam a morte de Elsa e dizem não aceitar a forma como o homem agiu. Por outro lado, sublinham que não foram vítimas de um linchamento ou de actos de vandalismo porque têm um bom relacionamento com a família da vítima e com os moradores de Vila Nova.

“Estamos envergonhados e a sofrer com o acto do nosso parente, mas não podemos pagar pelo crime que ele cometeu. Agradecemos a compreensão da família de Elsa e da população neste momento de consternação. E defendemos que ele terá de arcar com as suas consequências e que a Justiça seja feita, bem como os filhos de Elsa tenham direito a uma indemnização porque ficaram órfãos” afirma Conceição Dias.

 

Família de Elsa

Por seu lado, Adalberto Silva, irmão de Elsa defende que apesar do momento de sofrimento que se vive em Vila Nova com o assassinato da irmã “nunca deixaríamos que a família de Sintanton arcasse com as consequências do seu acto”. Adalberto assegura que quer a família de Elsa, quer os filhos de João Dias e a população ficaram “perplexos” com a atitude do homem que sacou de uma pistola e deu um tiro certeiro na cabeça de uma mãe de três filhos, que agora ficaram órfãos.

“Continuamos a respeitar os familiares de Sintanton porque não devem pagar pelo seu acto. Quem tem de ser responsabilizado é o homem, pelo que não temos ódio para com a sua família. Não vamos agir com as próprias mãos, o que vamos fazer é aguardar pela justiça e, se houver algum valor a ser ressarcido pela morte de Elsa, que o Tribunal o entregue aos três filhos, porque são eles que necessitam desse apoio” conclui o irmão da vítima.

 

  1. betty rodrigues

    É com muito orgulho que leio essa noticia.Essas são as pessoas da minha zona,com sentido de cidadania e boa vizinhança. O facto foi triste e lamentavel, mais ainda por se tratar de duas familias bastantes conhecidas e queridas na zona. Apesar da revolta da dor e consternação,temos de manter a serenidade e deixar a justiça fazer a sua parte, porque ha pessoas inocentes nessa historia que nao merecem nem devem ser sacrificadas e/ou responsabilizadas pelo acto tresloucado do criminoso…

  2. Orgulho

    bom pessoal, nfica orgulhosa de lê tudo es texto,,porque justiçza deve ser feito pelo tribunal assim ki ta agido,,pmd se fosse outra familia era guerra entre familia pmd o ke kontice,,mas como foi santanton que faze crime é el ki tem que paga ,,nau familiares e enquanto ao familiares da Elsa meus pessemos que a terra seja leve, e que Deus ta tem misericordia de seus fidjo pa iluminas pes torna grandes alguem na vida,,

  3. Tiburcio

    Os familiares quer do assassino quer da vitima estão a dar uma verdadeira lição as instituições de justiça e a provar que apesar de tudo ,nada ainda essa perdido neste Pais.
    Parabens.

  4. Cau D´zabel

    Excelente postura dos dois lados. No meio de uma grande desgraça, as pessoas que de forma indirecta sofrem com a situação, mostram como é que devemos estar numa sociedade. A indemnização tem de ser rápida e justa porque se a mãe já
    tinha alguma dificuldade de subsistência, imaginamos agora os filhos.

  5. Fudjissa Rua 7

    Isso mesmo Betty Rodrigues…Conversei hoje de manhã com o nosso querido amigo Bat (Adalberto Silva) e foram exatamente estas palavras que lhe transmite: Orgulho da postura da sua família com relação a este facto que lamentavelmente assombrou a nossa Zona pacata outrora mas que tem vindo a dar sinais de alguns desencontros. São duas famílias amigas e conhecidíssimas em toda a Vila Nova e para aquilo que o Bat me transmitiu estão serenos e confiantes que a justiça faça o seu devido julgamento.

  6. jose fortes

    Sinceras condolencias a familia enlutada.
    Perdoar *e uma dadiva de Deus.
    quem deve pagar pelo acto criminoso deve ser o proprio criminoso e não a familia deste.
    Deixem que a justiça seja feita pelos Tribunais.
    Num Estado de direito como o nosso ninguem deve fazer justiça com as mãos.
    A coragem e o bom senso deve prevalecer nessas duas familias.
    Abraçam e choram juntos a dor dos filhos que ficaram orfãs.

  7. Carlos Fonseca

    Meus sinceros sentimentos de pesamos a família enlutada!
    Difícil perceber porque um caso triste e lamentável que caso destes acontecem nestes dias de hoje,nem a prisão do dito sintanton. vai resolver o problema,nem os familiares nem linchamento do mesmo,a não ser compreensão de uma boa cidadania que deve prevalecer.
    Impossível de acreditar um caso destes mas deve ser um caso de grande depressão discursarão que leva um cidadão idoso a cometer este crime por isso deixem trabalhar a justiça!

  8. Lino Mota

    O mais interessante de tudo isso é que a justiça com letra pequena é que anda a “favorecer” esses actos. Ao mandar um criminoso para casa, pergunto o que é que a justiça quer? Que el mate mais alguns? E não fosse o bom senso das duas famílias, a esta hora possivelmente teríamos outro banho de sangue e mais uma vez provocado pela justiça.
    JUSTIÇA, onde andas tu?
    Sentidas condolências à família enlutada

  9. Carla

    Apenas esperamos que o juiz, ao decidir, não fixe uma indemnização baixa, à semelhança de outros casos. Os órfão ficaram privados não só da mãe, figura que cuida, que dá amor, carinho e segurança, mas também de quem provia do seu sustento e educação. O Juiz aqui terá que ser consciente e ponderar que quaisquer 500cts não bastam, não compensam a dor da perda. Mas, em termos materiais, teremos que ver que as crianças precisam crescer com dignidade.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.