Banhistas preocupados com a segurança da praia

17/07/2013 00:00 - Modificado em 17/07/2013 00:00
| Comentários fechados em Banhistas preocupados com a segurança da praia

Laginha1Perante as obras do Terrapleno Norte e da construção do Esporão (barragem) que estão a ser erigidos na costa sul da praia da Laginha e com as eventuais consequências, nomeadamente a qualidade da água e a possibilidade da praia vir a ser interdita a qualquer momento, os banhistas dizem-se preocupados com as condições da praia.

“Desfrutar da praia sim, mas a que preço?”, questiona António Silva que reside na Holanda e que quase todos os anos vem passar as férias em São Vicente juntamente com a família. “Costumo trazer as minhas duas filhas: uma com onze anos e outra com sete, mas com os últimos acontecimentos, agora com as notícias que correm não sei se será bom para a saúde delas trazê-las para cá”.

Por outro lado, há os amantes da praia da Laginha que a vêm para além de um simples espaço balnear. “A Laginha é para mim o lugar que mais me faz recordar a minha ilha, São Vicente. Estando longe e a pensar no Mindelo, lá estará sempre a minha Laginha”, conta Viviane Costa que reside em França. No entanto, Costa apela para que os são-vicentinos não baixem os braços, “porque temos que lutar por aquilo que é nosso. E, mais do que isso, há as espécies marinhas que podem deixar de existir nessa orla por causa dessas obras monstruosas”.

Já Djo dos Santos, um frequentador assíduo da praia diz que “enquanto houver areal e mar não há nada que me faça arredar o pé daqui. Que venham tentar impedir o uso desta praia que não saio daqui, porque é a minha segunda casa, o meu recanto”.

No entanto, as ameaças à praia da Laginha são um perigo constante e com o avançar das obras, os banhistas temem que a praia venha a ser interditada. “Se as obras continuarem durante o Verão claramente que não haverá condições para continuarmos a frequentar a praia sem riscos para a nossa segurança e a nossa saúde. É triste, porque muitos vêm à ilha de São Vicente também pela Laginha, fora as tartarugas que vêm cá desovar. Esta obra é um monstro que não olha para os meios para atingir os seus fins”, comenta Aristides Mota, para quem Mindelo “nunca mais será o mesmo” caso não se tomem medidas para proteger toda a área que circunda a praia.

 

 

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.