Salários em atraso: CS Mindelense paga 300 contos aos jogadores

10/07/2013 07:51 - Modificado em 10/07/2013 07:51
| Comentários fechados em Salários em atraso: CS Mindelense paga 300 contos aos jogadores

Presidente do CS MindelenseDepois de enfrentar problemas financeiros que originaram o atraso no pagamento dos salários aos jogadores, a direcção do campeão regional Clube Sportivo Mindelense pagou parte da dívida que passa a ser agora de 1800 contos relativamente a três meses de salários.

Este online soube que na semana passada, o colectivo de jogadores recebeu a quantia de 300 contos, valor que saldou metade de um mês de salários em atraso. Contactado pelo NN, Adilson Nascimento, presidente do CS Mindelense garantiu que o clube fez o pagamento aos jogadores assalariados e que em breve, os atletas irão receber os salários referentes aos três meses.

Adilson Nascimento sublinha que o CS Mindelense já realizou diligências para resolver o problema, e que o clube está a finalizar uma negociação com uma operadora de telecomunicações e com outros parceiros. Por outro lado, assegura que os salários serão pagos, na medida que o clube vai resolver a situação assim que receber as receitas provenientes de entidades que estão a apoiar o Mindelense, cujo valor ronda os quatro mil contos.

Por outro lado, o presidente do Mindelense defende que “a situação vai-se estabilizar com essas parcerias pelo que, neste momento, a direcção, a gestão técnica e os jogadores vivem um ambiente saudável em espírito de campeão. É preciso lembrar que ainda não recebemos os prémios relativamente à nossa participação no Campeonato Nacional e que culminou na passagem à final e outras receitas de parceiros. Por agora, a expectativa é ir a Santo Antão para ganhar e trazer o título para São Vicente e depois aguardar a participação na Taça de Cabo Verde”.

Recorde-se que o CS Mindelense paga aos jogadores os salários vigentes nos contratos, de modo que o Mindelense tem de cumprir o acordo que assinou com os jogadores que compõem a equipa, onde as remunerações variam entre os 10 e os 25 mil escudos.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.