Despedimento do presidente do DECM : alunos acham que não vai mudar nada

9/07/2013 00:22 - Modificado em 9/07/2013 00:22

DESPEDIMENTOSO presidente do Departamento de Engenharias e Ciências do Mar (DECM) da Universidade de Cabo Verde (UNICV), Alexandra Delgado, foi destituído do respectivo cargo desde quinta-feira. Para ocupar o lugar entra Henrique Rendal que já fazia parte da equipa do então presidente deposto, actuando, até à data, como vogal administrativo. A pasta desse departamento passa agora para a responsabilidade do novo presidente com os respectivos vogais nas áreas administrativa e pedagógica.

Entretanto, os alunos mostram-se sépticos quanto às mudanças efectuadas dentro do departamento, sobretudo, por não ter autonomia para resolver os problemas que têm vindo a reivindicar. “Nem que o novo presidente tenha um carácter mais interventivo, não poderá fazer nada, pois cabe àquele departamento simplesmente operacionalizar os regulamentos ditados pelo corpo reitoral da Universidade” sublinha Nuno Fonseca.

Mas o clima de cepticismo não pára por aqui. Apesar de ainda os alunos afirmarem não conhecerem o novo presidente, reiteram que “as mudanças efectivas não passarão pelas mexidas ou não, naquele departamento. Até porque “o novo presidente já fazia parte do corpo directivo do DECM – fazia parte das políticas até então vigentes -, portanto, não vejo como poderá mudar o rumo das coisas”, afirma Wilton Lopes, estudante de Electrotécnica.

“Nós seguimos ordens do governo da UNICV”

O novo presidente Henrique Rendal explica que os motivos dos protestos dos alunos não são da alçada daquele departamento. “Nós seguimos as ordens do governo da UNICV. Gerimos as pastas dos Recursos Humanos, organizamos e promovemos as áreas de ensino, horários e planos”, explica Rendal, sublinhando que o departamento responsabiliza-se apenas pela concretização dos regulamentos que são traçados pelo corpo reitoral da Universidade.

“Existem regulamentos que temos que implementar, nós não estamos acima da lei”, replica o novo presidente.

Manifestação em massa adiada

Adalberto Silva reitera a sua assumida posição de inconformismo perante a “incompetência do corpo reitoral” que até aos dias de hoje “não se dignou de estabelecer contacto connosco para discutirmos o caso. Silva e João Francisco adiantam que, perante um sistema educacional que não funciona, os alunos vão avançar com uma greve geral, desta feita dirigida a toda a sociedade mindelense. Queremos que as pessoas saibam, que participem. Queremos melhorias na qualidade do ensino e isso só irá acontecer com a destituição da reitoria”. Entretanto, por motivos de ordem legal, a manifestação que estava programada para amanhã, dia 5, foi adiada para uma data a ser estipulada pelos alunos.

Reacção da vice-reitoria:

O vice-reitor da UNICV do Mindelo, Brito Semedo, contactado pelo NN manifestou o seu desagrado para com este diário que tem vindo apenas a efectuar o seu trabalho que é o de informar o seu público, censurando-lhe um comportamento leviano e extremamente agressivo. Para além de ter agredido verbalmente a repórter de serviço ainda a escorraçou, literalmente, do seu gabinete dizendo não prestar declarações a este diário online.

 

  1. Manuel Gonçalves

    Esse Brito Semedo é um leviano, bairrista e complexado de todo o tamanho…

  2. MONTEIRO

    A notíca afirma que os alunos não conhecem o presidente, depois diz que os alunos acham que as coisas não vão mudar porque o presiddente fazia parte do corpo directivo.
    Afinal conhecem ou não o presidente?
    HAhahaha coisaas de nôs terra

  3. Nuno Ventura

    De facto este Vice-reitor tem um blog muito cultural mas, como ser humano, não vale nada. Ninguém sabe para que está em S. Vicente e o que já fez para melhorar a qualidade do ensino na UniCV.

  4. LIMA

    SERA K GOVERNO DE UNICV KEL KRIS DZE OU GOVERNO DO PAICV…

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.