Crimes de Catana :em 2007 violou uma idosa de 90 anos e tentou sumir com o corpo

8/07/2013 00:31 - Modificado em 8/07/2013 00:31

ze catanaNininha faleceu em 2012 de morte natural aos 95 anos de idade, mas os familiares não têm dúvidas que o “Zezinho pretendia matar a minha avó para encobrir o seu crime. Se não tivesse aparecido, ele teria sumido com ela”.

 

O NN prossegue com a investigação jornalística sobre o perfil de Zezinho Catana e os crimes que lhe são atribuídos. A nossa investigação colocou-o no cenário do desaparecimento de Alice dos Reis e no assassinato de Maria Chandim. Mais tarde, a investigação cruzou o seu caminho com o de Amâncio Maniche,  um idoso de 78 anos, da zona  de Chã de Alecrim que desapareceu em 2011. A nossa última investigação recaiu sobre a violação de uma mulher de 90 anos. Crime pelo qual foi sentenciado a quatro anos de prisão. Ao longo destas investigações, surgem factos que nos colocam na presença de um monstro cruel e letal, mas que seduz as vítimas na pele de cordeiro manso e dócil. E foi o que aconteceu em 2007 com “Nininha” que foi violada por Zézinho Catana quando tinha 90 anos. Mais uma vez, a vítima tinha uma relação de parentesco com o algoz e era inofensiva. Uma filha de Nininha foi mulher do pai de Zezinho Catana e este, durante as saídas precárias da cadeia da Ribeirinha devido ao bom comportamento, visitava os familiares.

Mas um dia, conforme o depoimento de uma neta de Nininha, “senti os gritos da minha avó que morava na rua em frente ao hospital e fui ver o que se passava“. Diz que encontrou Zezinho Catana com a avó ao colo e perguntou-lhe o que tinha acontecido e este respondeu: “A Nininha sentiu-se mal ao fumar erva no seu cachimbo e vou levá-la ao Hospital”. A neta diz que não desconfiou e mandou o indivíduo levar a avó ao Hospital enquanto que ia chamar outros familiares. Mas no caminho, cruzou-se com uma vizinha que lhe disse que estava a ouvir a Nininha a gritar e a pedir por socorro dentro de casa. Quando os familiares chegaram ao banco de urgência do HBS a Nininha estava sozinha e foram informados pelo pessoal médico que ela tinha sido violada. De acordo com os familiares, Catana foi detido e, mais uma vez, confessou o crime. A Nininha faleceu em 2012 de morte natural aos 95 anos de idade, mas os familiares não têm dúvidas que o “Zezinho pretendia matar a minha avó para encobrir o seu crime. Se não tivesse aparecido, ele teria sumido com ela”.

Este crime é cometido quando o suspeito estava na cadeia da Ribeirinha a cumprir 19 anos de cadeia pelo assassinato de um homem em Santo Antão e, devido ao seu “bom comportamento”, à luz das leis de medidas de segurança e de reintegração social, teve direito a sair da prisão para dar início ao seu processo de reintegração na sociedade. Segundo o que apurámos, “Catana” tinha dias estipulados no presídio para visitar familiares, passear pelas ruas da cidade do Mindelo bem como vender as peças de artesanato que produzia na prisão.

  1. Batman

    Epá, f%$%&#&-se, alguem que de um fim neste gajo duma vez por todas pá, ficam aqui a gastar o $$$ dos contribuintes arrastando este bandido dum lado pro outro, dando-lhe que comer na cadeia, com o $$$ dos nossos impostos ahmmm……não está certo, alguem que feche um olho ai na cadeia e que tratem da saude ao tipo.

  2. PJOTA

    APOIADO caro amigo…………..Limpem o sebo ao gajo………..é a única forma de ficarmos tranquilos…….

  3. Monte cara

    Boca fachada nao entra mosca,”Bo perde grande oportunidade de estod calod JORGE PEDRO SOARES….pa proxima se Bo ca tiver nada de util pa dze pelo menos popa nos de leviandade.

  4. si era um badio ki comete es crimes jornal ka tinha espaço pa kebi es comentarios

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.