Quando Sacrificar pelos filhos é pouco

4/07/2013 01:16 - Modificado em 4/07/2013 01:16

carteira vaziaPara conseguir sustentar a família tem que se tentar qualquer coisa deste que seja de forma honesta, assim Maria Helena, moradora em Monte Sossego Trás Cemitério, caracteriza a tarefa de arranjar o sustento para os seus quatro filhos. Pai e mãe dos quatro conta que desde de há muito tempo que tem a responsabilidade de cuidar sozinha dos filhos.

 

Neste momento esta chefe de família não tem um trabalho fixo e o que faz para ganhar a vida é trabalhar lavando roupas e limpando casas. Estes trabalhos não são fixos, somente quando alguém estiver a precisar e requisitar os serviços de Maria Helena. Diz que não é o melhor trabalho que poderia ter mas devidas as circunstâncias tem que fazer o que vai aparecendo, mas admite que “um dia sem trabalho fica muito complicado”. Mas garante que até agora “vai dando para passar o dia”.

A situação económica tem tido eco nesta família de cinco pessoa, dos quais quatro delas crianças, a mais velha com doze anos. A vontade desta cidadã , como milhares que estão no desemprego, é de poder trabalhar e garantir o sustento e educação para os filhos, mas reconhece dificuldades em conseguir isso. Ela mora em Trás de Cemitério numa casa de tambor, e afirma que pelos filhos tem que se fazer tudo para que possam crescer e retribuir o esforço.

 

  1. Eurides

    Cara compatriota
    Luta e perseverança tem sempre um cantinho na sociedade em que estamos integradas. Não importa seu grau académico porque já é Doutorada pelos enormes sacrificios .
    Tenho a certeza que um dia verterá lágrimas de alegria ao ver seus dignos filhos homens e mulheres formados e à altura de poderem vir a dizer-lhe: obrigado/a mãe.

    Nós as mulheres somos fortes, valentes e pacientes. UNICA FORMA DE FAZERMOS FRENTE AOS QUE NOS DEIXAM SOZINHAS E VAO A VIDA é trabalhando.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.