Associação Abraço: a luta contra o VIH também passa pelos portadores

3/07/2013 01:07 - Modificado em 3/07/2013 01:07

centro HIVOficializada em 2011 pela mão de cerca de 15 portadores do VIH\SIDA (PVS), a Associação de Seropositivos de São Vicente (Abraço) vem travando uma luta em prol de uma sociedade mais esclarecida, pelo fim da estigmatização e preconceito relativamente ao vírus. O lema que os move passa, essencialmente, pelo lado educativo e pedagógico: os alicerces para um verdadeiro combate à discriminação, alertando para os comportamentos de risco e, principalmente, actuando junto dos portadores visando a divulgação dos direitos e deveres que estes têm perante a sociedade.

 

“Criámos a Associação com o objectivo de apoiar as pessoas tanto em termos de atendimento, como de apoio psicossocial e apoio económico. Temos tentado fazê-lo no terreno, através do projecto Viver Positivo que foi financiado e que está a ser feito em conjunto com a fundação de solidariedade cabo-verdiana”, afirma o presidente da Associação Ailton Lima que sublinha que, até agora, já conseguiram efectuar cerca de 87 aconselhamentos feitos no terreno com portadores do vírus. Em paralelo com este projecto, a Associação tem desenvolvido interacções com jovens através de palestras, promoção de fóruns e de ajuda pedagógica nos trabalhos desenvolvidos pelos alunos sobre o tema.

 

Travagem da doença começa também no seio dos portadores

 

O propósito principal do projecto da Associação passa pelo acompanhamento dos PVS nas comunidades da ilha no sentido de ajudá-los a libertarem-se dos medos e preconceitos que os mesmos desenvolvem em torno da doença. Desta forma, com um número cada vez maior de portadores dispostos a “dar a cara pela doença” estarão as bases formadas para que se consiga dar mais um passo rumo à prevenção.

 

“Cada dia vamos mostrando aos portadores que se dermos o nosso contributo através da sensibilização da população” com ou sem o vírus, com discursos na primeira pessoa sobre o viver com a doença, sobre os riscos, acaba por ser uma grande mais valia no despertar de consciências para atitudes responsáveis e consequentes relativamente às doenças sexualmente transmissíveis.

 

“O cabo-verdiano pensa que o uso do preservativo diminui a virilidade”

 

“Quase todos os homens pensam que o uso do preservativo diminui a virilidade. Cada dia temos menos pessoas a usar o preservativo. Muitos, nas campanhas de distribuição de preservativos tomam mas não usam. A sociedade não está a cumprir, os jovens não estão a cumprir”, explica Lima que alerta para a necessidade de se apostar ainda mais em campanhas de sensibilização para o uso do preservativo, sobretudo nas festas, porque “o uso do preservativo é a nossa salvação”.

 

Com cerca de dois anos a trabalhar legalmente no terreno e sem apoios nem do Estado, nem do Ministério da Saúde e do Ministério da Juventude, o trabalho desses PVS não pára, como realça o próprio presidente. Movidos por uma fé e resiliência inabaláveis, os membros da Associação continuam o seu duro trabalho de sensibilizar a sociedade para práticas saudáveis, de sensibilizar os portadores do seu papel activo neste processo e dos seus direitos enquanto cidadãos que “merecem ser tratados com dignidade e respeito”.

 

  1. Filomeno

    Boa iniciativa. Estranho não terem apoio do Governo, pois penso ser uma das melhores formas de combater o alastramento do Virus. Força pessoal!

  2. yol

    eu mae do presidente de associaçào lima.pedo todos os pais e jovem,nào so,enfim os sierepositivos de nào tiver medo da sociedade e descriminaçào para eles tomar os remedios porque sida nào tem cura mas tomandos os medicamentos podem viver muitos anos e um vida igual a toda gente.eu falo com esperencia do meu filho.Ele nào escondeu os seus familhares que era sieropossitivo.lutou continua a lutar para sua vida e na campanha contra a sida.tantas pessoas ,tantas portas fechadas os dedos sempre pronto

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.