Ninguém assume que comprou carne humana mas : “ quem comeu ainda não morreu”

26/06/2013 01:09 - Modificado em 26/06/2013 01:09

carne vermelhaNas zonas de Fernando Pó e Ribeira de Craquinha ninguém assume que comprou carne humana , mas avisam “ quem comeu ainda não morreu” .

 

Na confissão feita a PJ , Zezinho Catana , afirmou que esquartejou o corpo de Alice e deu a carne a Maria Chadim para esta vender .Por enquanto permanece apenas uma confissão de alguém que tem por hábito confessar os seus crimes . E até agora , em São Vicente , ninguém apresentou queixa as autoridades ou revelou que comprou carne vendida por Zézinho Catana . Um familiar de Maria Chandim disse ao NN que “ estão a denegrir a imagem da minha mãe . Ela nunca não faria uma coisa dessas “. Nas zonas de Fernando Pó e Ribeira de Craquinha onde se especula que a carne humana possa ter sido vendida , os moradores questionados pelo o NN preferem não falar do assunto e ninguém assumiu que comprou carne suspeita ou que conhece quem tenha comparado . Mas deixam uma certeza . “ quem comeu ainda não morreu” .

Mas em toda ilha de São Vicente este é um assunto que repugna os mindelenses e que está afectar a sua dieta alimentar .Muitos afirmam que “ não conseguem consumir carne “. Joana diz que “ não consigo comer carne vermelha , lá em casa so temos comido frango e peixe “. Outros juram que nunca mais compram carne vendida à porta de casa . Como diz uma dona de casa “ as autoridades tem esclarecer se foi ou não vendida carne humana em São Vicente , precisamos de sossego “

  1. E ESTA HEIN????

    A mim não é isso que me choca, o ter comido ou não, o que me choca é o facto de as pessoas nas redes sociais e na rua estarem a fazer comentários de brincar sem se importarem com o sucedido. Existe um falta de sensibilidade para com os que morreram e para com os familiares. Se esquecem todos da dor dos outros.

  2. Carlos Ferreira

    Que a carne foi comercializada não há dúvida.Que ela foi consumida também não há duvida.Catana nada tinha a perder com tal afirmação, Ele como produtor, primeiro consumidor e apreciador terá decerto experimentado um certo orgulho em pertencer a um determinado grupo.
    Contudo este sigilo sepulcral reinante não é estranho pois é um comportamento assinalado noutras paragens. Para aqueles que eventualmente nao o leram vêr o meu comentário de 17.06.2013, (em baixo parcialmtene transcrito) em especial as razões de tanto sigilo e as suas nefastas consequencias e implicaçoes.
    ————————————————————————————————————————–
    ”.Especialistas na matéria afirmam que o perigo reside na possibilidade de contaminação e tambem no perigo das pessoas habituarem ao sabor e serem levadas pela tentação.Neste ponto as autoridades sanitarias e judiciais devem estar atentas pois as pessoas que eventualmente compraram ou consumiram a carne comercializada por “catana” provavelmente guardarao o maior sigilo possivel com receio de serem estigmatizadas. Com este comportamento elas poem em perigo a sua saude fisica e mental”.

  3. nais

    comeram carne tambem em ilha de madeira a 1 ano atras. conheço uma pessoa.

  4. lopess

    Na minha opiniao acho que devemos preocupar mais com o que aconteceu e nao brincar com coisa seria como desse tipo que pela 1 vez aconteceu no nosso pais, agora, agora isso ja virou moda “ami un ca ta cumi carne di ze catana” nu dexa brincadera de lado nu da mas valor ao sentiment de cada familia mesmo sabendo mes ca ta fazi parti di nos familia. obrigada. nu seja mas racional cu problema dos outros nu das mao, nao choque.

  5. felizbero

    seria bem melhor se tirassem a imagem d carne ja q nao ha imagem d carne q catana afirmou q vendeu… assim fico com nojoooooooooooo d carne…

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.