“San Jon urbano”

24/06/2013 00:04 - Modificado em 23/06/2013 23:43

Sao joaoSan Jon uma festa de romaria que muitos mindeleses apreciam é habitualmente festejada na Ribeira do Julião.Mas 2013 trouxe um conceito diferente: um SonJonurbano . No Clube de Ténis e na Tenda Alta Maré nos dias 21 e 22 alguns mindelenses usufruíram de comidas, danças e jogos típicos da festa do São João: “ San Jon urbano”- classificaram os presentes.

Os tambores que anunciam a tradicional festa do São João tocaram e fizeram dançar os presentes na festa do Arraial de San Jon no Clube de Ténis no Mindelo, organizado pela Escola de Samba Tropical. O presidente, David Leite, disse que “ com Samba Tropical, no Carnaval ou romaria estaremos sempre com folia.” Leila Cardoso concorda que “ a festa estava muito divertida e senti como se tivesse na Rª do Julião, só faltava a terra e a fumaça do habitual San Jon”. Enquanto que Danilza acrescenta que adorou a ideia de poder festejar o São João na cidade e num local onde os filhos estão a vontade para brincar, visto que se realiza num local fechado.

Os jogos populares e comidas tradicionais como, o milho assado, “friginote, midjoingron” e outras iguarias típicas da festa não faltaram ao” San Jon urbano” realizado na Alta Maré e no Clube de Ténis, contudo houve quem considerou que desta forma poderá perder-se o que é a essência da festa tradicional, mesmo assim não deixou de elogiar a iniciativa e disse que “ é preciso dinamizar São Vicente e essas iniciativas são para parabenizar.”

As actividades do San Jon na cidade do Mindelo prosseguiram no dia 23 com a abertura do bazar de São João no Centro Cultural do Mindelo, e o desfile nocturno com actuação de tamboreiros e coladeiras e de um trio eléctrico com batucada pelas principais artérias da cidade do Mindelo.

No mesmo dia, à noite, a localidade de Vila Nova recebeu a tradicional “lumnara”, ficando os concursos de tamboreiros e de colá sanjon e a missa alusiva à data para tarde de segunda, 24, na Ribeira de Julião.

 

  1. SV

    Da forma como foi feita pareceu mais comércio do que promoção da cultura. Preços caros, como cerveja (copo) = 100$; milho cozido (6 cm) = 50$. E para quê faze-lo na vespera do S. João. Façam-no no ultimo fim semana de cada mês e todos os meses teriamos um cheirinho do S. João. A cada organização ganhava-se mais maturidade, portanto, mais jogos e comidas tradicionais e diversão. Os residentes, emigrantes e turistas iriam agradecer. E a ilha também. Até proximo mês…

  2. pj

    Sô grandéza, más nada… oiás quês madama pra lá ta desfilá…..camáda de Luísa, Elsa, D. Lutcha, David… (quase um madama tb) sem contá c´aquês fachom… SÔ GRANDÉZA….
    Bsot ba ê pa casa tmá conta de bsot meride ma amedjer, crede!

  3. Filho da terra

    Inveja é uma coisa muito triste PJ, essas madames como tu chamas são pessoas que muito tem ajuda a nossa ilha.
    Antes de criticares ve se fazes algo melhor em vez de so deitar à baixo o trabalho dos outros feito com muito sacrifiçio, caso não saibas.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.