Erro de arbitragem impede Mindelense de vencer a Académica do Fogo

23/06/2013 14:38 - Modificado em 23/06/2013 14:38

Mindelense-2012-13-1-260x195O duelo que impõem a luta pela passagem as meias-finais do Campeonato Nacional 2013 terminou com um empate, porque a equipa do CS Mindelense foi perdulária, enquanto o seu adversário, a Académica do Fogo precisou da ajuda da equipa de arbitragem para manter-se na luta por uma vaga na final da competição.

O Estádio Adérito Sena acolheu o jogo da primeira mão das meias-finais do Campeonato Nacional 2013, entre o CS Mindelense e a Académica do Fogo. A partida foi arbitrada pelo árbitro da ilha do Sal, Fernando Semedo, cujo seu trabalho ficou marcado por algumas falhas no critério disciplinar e na análise de alguns lances entre os jogadores.

O CS Mindelense, a jogar perante os seus adeptos entrou em campo à procura de um resultado que o permitisse chegar a segunda mão das meias-finais em vantagem. Durante o decorrer da partida, o extremo do CS Mindelense, Pepa foi que mostrou mais evidências em campo com jogadas, fintas e passes certeiros para os colegas.

Foi um jogo em que a equipa treinada por Bubista foi superior à Micá do Fogo, com controlo total de bola, vários lances de perigo junto da baliza da Académica, porém faltou eficácia dos seus jogadores no momento de introduzir a bola na baliza.

Golo

Para conter a forma perdulária com que o Mindelense debateu durante o desenrolar do jogo, Dukinha foi o único que se deu bem com a baliza. O camisola 10, aos 28 minutos respondeu da melhor forma a um cruzamento e com uma das suas armas para fabricar golos, a sua cabeça, voltou a brilhar os adeptos do clube com mais uma “cabeçada certeira” na bola colocou-a no fundo da baliza.

Erro

 

A Académica em ritmo de jogo lento parecia estar condenada a sofrer uma derrota, porque não conseguia levar o perigo à baliza do Mindelense. Mas aos 77´, a Micá do Fogo chegou ao empate com a ajuda de um dos elementos da equipa de arbitragem. O árbitro auxiliar, César Lima que estava perto da jogada ficou indiferente, para não dizer vedou os olhos para deixar passar um “escandaloso” fora de jogo, já que o jogador da Académica, Elder tinha montado acampamento de forma irregular na área do Mindelense quando lhe passaram a bola.

 

O camisola 8 da Micá, Elder agradeceu a oferta do assistente de Fernando Semedo e colocou a bola no fundo da baliza a guarda de Tol. Os jogadores, dirigentes, e adeptos do Mindelense reclamaram do erro de Cesár Lima, mas o árbitro validou o golo, que ditou o resultado final a uma bola. Neste sentido a eliminatória vai ser resolvida na ilha do Fogo no jogo da segunda mão.

 

Académica do Porto Novo

 

No outro jogo das meias-finais, que decorreu no Estádio Municipal do Porto Novo, a Académica do Porto Novo venceu o Desportivo da Praia por 3-0. Com este resultado a Micá do Porto Novo ficou perto de garantir uma vaga na final do Campeonato de Cabo Verde.

  1. Mindelense

    as pesoas falam falam que vai começar hoje uma “Semana Gay”… me Miindelo. Mas a semana Gay começou no Sabado passado com a Parada gay no Estadio Aderito sena.

    Ma quel dia es tava ta tchmal era jogo de “Mindelense pa Campeonato Nacional”

  2. Adepto de SV

    Temos que abrir os olhos, pq ja é um vicio todas as vezes que uma equipa de S. Vicente chega a uma final ou meias finais, la vem a arbitragem da ilha do Sal mais uma vez prejudicar a nossa ilha, nao estou esquicido do jogo do Academica e o Sporting da Praia que o sr. arbitro da ilha do sal o Franciso Xavier (Nené) prejudicou o acadenica marcando uma grande penalidade enexistente quase no ultimo minuto do jogo, essa semana agora foi a vez do outro assistente que fez vista groça no gol.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.