Governo põe fim à guerra de cadeados com o encerramento do Clube Náutico

20/06/2013 00:28 - Modificado em 20/06/2013 00:34
| Comentários fechados em Governo põe fim à guerra de cadeados com o encerramento do Clube Náutico

No mês de Maio, o presidente da direcção do Clube Náutico do Mindelo mandou colocar cadeados à porta do clube. Mas o gerente do bar/restaurante que tem o espaço alugado, retirou os cadeados e mandou colocar segurança privada no edifício enfrentando os seguranças privados que a direcção do clube havia colocado. A PN foi chamada a intervir evitando o tumulto entre os seguranças. E para sanar o conflito, o Governo, proprietário do espaço toma agora a decisão de trancar as portas do edifício e expulsar o inquilino do Clube Náutico.

 

A Direcção-Geral dos Serviços do Património cumpriu a ordem de despejo que havia emitido aos dirigentes do Clube Náutico do Mindelo. O Governo teve de recorrer à força policial porque o CNM não cumpriu o prazo estipulado para fazer a entrega do edifício dos antigos armazéns das Alfândegas do Mindelo.

Segundo o que apurámos, a direcção do Clube Náutico do Mindelo tinha tempo até ao dia 10 de Junho para deixar o espaço e, dado o incumprimento dessa ordem, na manhã desta quarta-feira, por volta das seis horas, representantes da Direcção-Geral dos Serviços do Património chegaram ao local acompanhados pela Polícia Nacional e pelos seguranças da Silmac.

Este online soube que as fechaduras das portas foram trocadas e que algumas estão agora fechadas a cadeado, bem como o edifício passou a ser vigiado por dois agentes de segurança da empresa Silmac. Por outro lado, a direcção do CNM e as restantes entidades que ocupavam o espaço ficaram proibidas de entrar no local e, na eventualidade que desobedeçam a essa ordem, a Polícia Nacional tem instruções para agir dentro da lei.

O NN sabe que o imóvel vai ser entregue ao Ministério da Cultura que parece já ter novos planos para o espaço. Recorde-se que o edifício dos antigos armazéns das Alfândegas do Mindelo foi afecto ao Clube Náutico em 1983 por despacho do então Primeiro-Ministro Pedro Pires e do Ministro das Finanças e Planeamento Arnaldo França.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.