Suspeitos de roubos permanecem na prisão

18/06/2013 00:30 - Modificado em 18/06/2013 00:30

prisao preventivaO Primeiro Juízo Crime da Comarca de São Vicente fez o reexame dos pressupostos da medida de coacção aplicada a três jovens indiciados da prática de vários assaltos na zona de Chã D´Marinha, ilha de São Vicente. O juiz de instrução criminal decidiu manter os indivíduos na cadeia, sob prisão preventiva, por considerar haver perigo dos detidos manterem a sua conduta criminosa.

 

No mês de Março, o Tribunal da Comarca de São Vicente aplicou uma medida preventiva a três dos quatro jovens detidos pelo Corpo de Intervenção durante uma operação policial, por suspeitas de assaltos contra pessoas e residências na zona de Chã D´Marinha.

Os quatro indivíduos, com idades compreendidas entre os 15 e os 19 anos foram detidos em flagrante delito a assaltar uma residência e apresentados ao Juízo Crime. O menor de 15 anos foi conduzido para o Centro Socioeducativo Orlando Pantera, local onde já esteve internado depois de incendiar um iate na Baía do Mindelo; já os três comparsas foram encaminhados para a Cadeia Central de São Vicente.

 

Lei

Com base nas normas jurídicas e no artigo 294º do Código do Processo Penal, volvidos três meses, o juiz de instrução criminal tem de fazer o reexame dos pressupostos que o levou a mandar um suspeito para a prisão preventiva. Neste caso, coube ao juiz decidir se os três jovens deveriam aguardar o julgamento em liberdade ou permanecer na prisão até à sentença final do processo-crime.

 

Reexame

O magistrado analisou os pressupostos da determinação da medida de coacção, bem como as provas e os elementos que referenciam os jovens como pessoas ligadas ao fenómeno caçubody na ilha de São Vicente e determinou que os arguidos vão passar os próximos meses em regime de detenção preventiva na Cadeia de São Vicente, porque a sua libertação pode perigar a segurança pública e, ainda, permitir-lhes a realização de novos delitos.

 

Detenção

Nestas circunstâncias, com base nas medidas de prevenção geral previstas na lei, os três indivíduos vão aguardar o julgamento atrás das grades. De realçar que o processo-crime está na fase final de instrução para que o Ministério Público possa apurar os factos e deduzir uma acusação para que os suspeitos indiciados da prática do crime de roubo sejam submetidos a julgamento.

 

  1. Mário Gonçalves

    Felicitações pelo excelente trabalho que o tribunal de São
    Vicente e o Corpo de Intervenção em Mindelo está a efectuar nesta
    cidade, continuem por a comunidade mindelense agradece pela
    tranquilidade que vós nos tem oferecido. A Polícia de Shock
    continuem com o encerramento dos lugares de diversão nocturna que
    vem perturbando mo sossego e o descanso dos populares, neste último
    fim de semana fizeram um grande trabalho no kolumbim e de que
    maneira, contamos convosco. coragem homens de boína

  2. Vizinhos Unidos

    Congratulamo-nos com esta noticia e fazemos votos para que
    os juízes continuem a mandar para a prisão os prevaricadores!!!! Só
    assim se minimizam as reincidências e os cidadãos honestos poderão
    ficar mais tranquilos. continuaremos atentos aos gatunos e avisamos
    desde já que a nossa postura vai sempre de alertar as autoridades
    para actos do género. Pois caso contrário, é pau nos
    gatunos!!!!

  3. Mindelense

    É preciso apertar nos lugares de diversão noturna a
    presença de menores, mesmo que seja na porta, a polícia tem de
    interver de forma a afastar os referidos menores, se possível
    conduzi-los a esquadra e chamar os pais. Outra coisa é a questão do
    ruído, não deve ser tolerado depois das 2 horas da manhã, nos fins
    de semana, a não ser em lugares apropriados. Espero que neste verão
    a PN não dê tréguas a todo tipo de irregularidades e comportamentos
    indevidos e de faltas de respeito.

  4. jovem mindelense

    muitos utilizam este espaço para manifestar a alegria em ler essas noticias. só que se esquecem k qd alguém vai pra prisão o problema não se resolve, pois mais dias ou menos dias estarão em liberdade, e só Deus sabe o que serão capazes de fazer. pois a sociedade não está preparada para os receber, pois são apontados como criminosos qd saem a rua, são tratados como um perigo, trabalho nem pensar. decisões radicais nunca foi solução pra nd. que paguem sim pelo que fizeram mas trabalhem para os rr

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.