Crime da Terra Branca : Homem que assassinou José poderá ter vendido a carne da vítima como carne de carneiro

17/06/2013 00:04 - Modificado em 17/06/2013 11:21

pj-cvA PJ prossegue as investigações para apurar factos relacionados com a morte do cidadão José dos Anjos desaparecido há duas semanas, e que terá sido morto à facada por um homem conhecido por “Catana”, com quem partilhava a mesma habitação.

Este online sabe que “Catana” já confessou a PJ que matou o colega e que terá vendido a sua carne como carne de carneiro.A PJ quer falar com moradores de Terra Branca e arredores que tenham comprado carne de carneiro. A confirmar-se este facto estaremos na presença de um dos crimes mais macabros cometidos em Cabo Verde e que colocam “Zezinho Catana” na lista mundial dos crimes mais macabros que já foram cometidos. E de acordo com ficha criminal, que o NN levantou, o crime de Terra Branca é apenas mais um. O primeiro foi cometido em 1980 na Ilha de Santo Antão. Zezinho agrediu um familiar com uma catana, dai a alcunha de catana, que foi suturado com 75 pontos,  por esse crime foi sentenciado com 12 anos de prisão.

Por bom comportamento na cadeia saiu em liberdade condicional quando tinha cumprido oito anos da pena. Três meses depois, e apenas por que queria o blusão de ganga de Djo de Vinha matou – o na localidade Mão Pra Trás, ilha de Santo Antão. Esmagou a cabeça da vítima com uma pedra de 15 quilos. Foi condenado a 22 anos de prisão. Mais uma vez  por bom comportamento cumpriu 19 anos de cadeia. E devido esse bom comportamento teve uma licença de fim semana que aproveitou para violar uma mulher de 94 anos. O que lhe valeu mais quatros aos de cadeia. Zezinho Catana tinha saído da cadeia da Ribeirinha há dois anos.

A morte de José dos Anjos

José dos Anjos, cidadão da ilha de Santo Antão, que residia na localidade de Terra Branca, cidade da Praia está desaparecido há duas semanas, e na quinta-feira, 13, foram encontradas ossadas nas imediações da casa de José. As investigações da Polícia Judiciária levaram a detenção de um homem, que partilhava a mesma habitação com o desaparecido, e que já cumpriu pena de prisão por crime de homicídio.

O indivíduo conhecido “Zezinho Catana”, que também é de Santo Antão foi abrigado há alguns meses pelo pedreiro, de 40 anos, depois de cumprir pena de prisão na Cadeia de São Vicente. “Catana” foi detido pela PJ por suspeita de matar o colega, e os indícios apontam que esquartejou a vítima, vendeu a sua carne e queimou partes do corpo nas imediações da casa onde viviam.

Para a autoridade criminal, os indícios apontam para  um caso de homicídio, porque o suspeito forneceu várias pistas e terá confessado o crime. Uma das pistas surgiu durante as diligências no local onde foram encontradas as ossadas e que contaram com a presença de “Catana” que munido de uma enxada participou nas escavações e deu indicações onde estavam enterradas algumas ossadas. Em 1988 foi detido por que depois de matar Djo  de Vinha  vestiu a roupa da vitima e foi passear.

Por outro lado, a Polícia Judiciária quer esclarecer indícios que apontam que o suspeito vendeu a carne da vítima, como carne de carneiro. Neste sentido, a PJ alertou os moradores de Terra Branca e arredores que tenham comprado carne ao indivíduo que entre em contacto imediato com a polícia.

Por ora, “Catana” está sob alçada da autoridade criminal e pelos vestígios que apontam que assassinou o cidadão José dos Anjos  deverá ser entregue às instâncias judiciais para aplicação das medidas adequadas ao caso. Mas, se o Tribunal entender que o suspeito terá que aguardar o desfecho do caso na prisão, esta não será a primeira vez que “Catana” vai para a prisão.

O sujeito é tido como um pessoa que age de forma “fria, bárbara, letal sem respeito para com a vida humana, e que em qualquer instante pode retirar a vida de uma pessoa devido ao seu perfil que se associa ao comportamento de um psicopata”. Caso se venha a confirmar que matou o pedreiro, José, esta será a segunda vez que comete um crime de homicídio.

Há cerca de 30 anos, o indivíduo ganhou a alcunha de “Catana” depois de agredir um familiar com um “catanada” na região da cabeça na ilha de Santo Antão. A vítima escapou da morte, mas foi suturada com 75 pontos, e o agressor foi condenado a pena de prisão.

Mas o instinto de “Catana” para agredir pessoas não ficou por esta agressão, e em 1988 cometeu um crime que chocou a população da ilha de Santo Antão. Nas imediações da localidade de Mão Pra Trás assassinou um cidadão conhecido por “Djô D´Vina” com recurso a uma pedra com mais de 15 kgs esmagando a cabeça da vítima.

“Catana” confessou o crime, e em Tribunal disse que matou “Djô D´Vina” para retirar-lhe um blusão e uma calça de ganga que na altura andavam na moda em Cabo Verde. O homem cumpriu 19 anos de prisão na Cadeia de São Vicente, e parece que pode vir a enfrentar nova condenação por crime de homicídio, mas desta feita na Cadeia Central da Praia.

 

  1. Miguel

    este individuo merece pena de morte. Pois é um psicopata e um perigo a sociedade. As autoridades competentes e ao MP devem estudar este caso..e o povo pode pedir um refendo a “pena de morte”

  2. CidadaoCV

    É um crime muito bárbaro, talvez o mais hediondo que se tem memoria em Cabo Verde. Este “zé catana” já provou que é um assassino feroz, é letal, não tem menor sentimento pela vida. Para pessoas do tipo a própria vida não vale nada. Agora perante tais evidências que pena será aplicada a um tipo destes? Manda-lo para cadeia é um prémio. Terá; casa, cama, agua, luz, comida tudo de borla, á sombra. Vai engordar e “sentá pele”. É nestes momentos que apoio a Legislação Americana. Ele não merece viver.

  3. mascrinha

    não vale a pena aplicar este animal pena de morte caso
    existe no nosso quotidiano, somente 25 chega um vez que ja tem 55
    anos não aguenta ate 80 anos, claro dessa vez terra que cumprir na
    integra não merece atenuantes, e morrera de certeza antes de
    concluir a pena.

  4. Scurinha

    É neste momento que perguntamos, o que os nossos juizes
    estão fazendo? Bom comportamento? ainda caem nessa? Se ele
    estivesse a cumprir as penas que teve, não teria tirado outra vida
    desta forma tão hodionda. esta “criatura” que nem animal lhe serve
    para ser chamado, o que se faz com ele?

  5. Carlos Ferreira

    O consumo de carne humana é rejeitavel, repugnante,
    condenavel e quanto mais nas condicoes em que o mesmo aconteceu.
    Contudo em Cabo Verde alguns seculos atrás e quando das fomes
    agudas e ciclicas foram registados varios casos de canibalismo
    conforme reza a história.Especialistas na matéria afirmam que o
    perigo reside na possibilidade de contaminação e tambem no perigo
    das pessoas habituarem ao sabor e serem levadas pela tentação.Neste
    ponto as autoridades sanitarias e judiciais devem estar atentas
    pois as pessoas que eventualmente compraram ou consumiram a carne
    comercializada por “catana” provavelmente guardarao o maior sigilo
    possivel com receio de serem estigmatizadas. Com este comportamento
    elas poem em perigo a sua saude fisica e mental. Relembrar o caso
    do “Voo Força Aerea 571” em que um avião urugaio em 1972, com
    quarenta e cinco pessoas a bordo, entre eles estudantes
    universitarios pertencentes a uma equipa de rugby, seus familiares
    e amigos. O avião em questao caiu nas cordilheiras dos Andes. Em
    principio a maioria sobreviveu o acidente mas outros sucumbiram.
    Perante as dificuldades de resgate que durou muito tempo, perante
    uma situação climaterica extrema e fome os 16 sobreviventes não
    tinham outra solução senao alimentaram-se dos passageiros mortos
    que ficaram conservados no gelo, apesar duma certa retinencia de
    alguns logo no inicio. Nos tempos actuais muitos tresloucados,
    psicopatas, têm praticado tais actos de barbaridade, bastante
    repudiaveis como é o caso de “catana”. Os serviços de saude deverao
    prestar toda atenção às pessoas que eventualmente consumiram tais
    restos mortais, dando-lhes toda a assistencia psico-social evitando
    que venham a ser segregadas e estigmatizadas.

  6. anonima

    Este individuo tem uma afinidade enorme com a prisão já que é o unico lugar em que consegue ter um bom comportamento.
    Já que é assim porque não deixa-lo aí para sempre?
    fica a minha sugestão

  7. lina

    Gouverno di cabo verde nhos toma grandi medida cu kes dilincuentix ki xta la… nhos tem ki intchi barco i fuliax tudo la n’a ilhia di santa luzia pes Santa dixmerdia entri ex .. pmd cabo verde ça xta nada bem asim … sa ta da alguen medo di bai la i si continua asim ex ta caba pa poi ses lei n’a nox tera morabeza

  8. zk

    catana dja da prova czé k elé.25 anos na sao mrtinho e 25 anos na hotel 4 estrelas.cumi bebi trena sai na fino.cv ca ten cadeia. pmd si nu tinha un cadeia mesmo, kenha ki bai ó ki ben nuca mas ka ta kre bai la.modi k”un alguen ta bai preso td kel tempo la ta sai ta continua kelmé.[ké la é pa largal na un quintal ku x cacthor psico sima el pa és ba dizarasca]si é dado 25ano rapazis de trafíco é dado liberdade.

  9. Indignado

    El eh meluke

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.