Dilma vaiada num estádio de futebol

17/06/2013 00:11 - Modificado em 16/06/2013 23:33
| Comentários fechados em Dilma vaiada num estádio de futebol

Dilma BRPresidente acusada de gastar dinheiro com o Mundial e os Jogos Olímpicos em vez de investir na educação e na saúde.

 

A Presidente do Brasil, Dilma Roussef, foi vaiada no sábado à noite no Estádio Nacional de Brasília quando inaugurava a Taça das Confederações. À entrada, a chefe de Estado passou por uma pequena manifestação de gente que protestava contra o que considera ser o esbanjamento de dinheiro que deveria ser investido em educação e saúde.

 

O Brasil organiza o Mundial de futebol em 2014 e os Jogos Olímpicos em 2016. Além das infra-estruturas e dos gastos inerentes à concentração de tantos atletas e comitivas, o Governo brasileiro vai investir uma fatia importante da verba destinada a cada um destes espectáculos desportivos em segurança.

 

A economia brasileira começa a dar sinais de estagnação depois de uma década de crescimento e a inflação subiu para 6,5% ao ano.

 

Dilma fez um pequeno discurso a abrir esta competição mas o que disse não pôde ser ouvido devido às vaias do público que lotou o recinto para assistir ao jogo entre o Brasil (que venceu) e o Japão.

 

O presidente da FIFA, Joseph Blatter, que estava ao lado de Dilma na tribuna do estádio e também fez um discurso oficial, pediu aos adeptos brasileiros que fossem educados: “Amigos do futebol brasileiro, onde está o respeito e o fair play, por favor.

 

Estava Dilma a entrar no estádio em Brasília e, em São Paulo, cinco mil pessoas gritavam também frases de protesto contra si. Na sua maioria eram estudanets universitários, diz a Reuters, que bloquearam algumas estradas. O protesto nesta cidade dura há oito dias e começou por ser uma manifestação contra o aumento do preço dos transportes públicos – contestação que se estendeu ao Rio de Janeiro, onde foram presas algumas dezenas de pessoas. Houve também detidos em São Paulo e em Porto Alegre.

 

“A paz acabou, a Turquia é aqui”, gritaram alguns manifestantes em São Paulo, explicando que o protesto devido ao preço dos bilhetes dos transportes se tornou uma contestação maior à política económica do Governo.

 

Uma nova manifestação está marcada para segunda-feira – as anteriores foram reprimidas pelas unidades de intervenção, decorrendo um inquérito para apurar se a polícia usou força excessiva.

 

 

publico.pt

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.