Corpo de Intervenção identifica gatunos e recupera produtos

17/06/2013 00:00 - Modificado em 16/06/2013 22:54

carro PNO Corpo de Intervenção na ilha de São Vicente está a realizar uma acção policial para combater a criminalidade nalgumas zonas da ilha consideradas como pontos negros. É que durante uma investigação, agentes da CI descobriram locais que foram transformados em “paraíso” por caçubodistas que procuram alimentar o próprio vício por coisas alheias. O Corpo de Intervenção já desmantelou um grupo de indivíduos e recuperou alguns equipamentos.

O NN apurou que nos últimos dias, o Corpo de Intervenção não tem dado trégua aos cidadãos que lidam com o fenómeno caçubody, que apesar de apresentar uma redução de casos, continua a assolar a população de São Vicente. O relato de pessoas que foram atacadas por caçubodistas prossegue, enquanto a Polícia procura colocar um freio nos indivíduos que andam pela ilha em busca de “novas vítimas” para sustentar o próprio vício.

Mão pesada

O certo é que o Comando da Polícia Nacional tem conseguido deter alguns gatunos em flagrante delito e o Tribunal tem tido mão pesada, em mandá-los para a prisão preventiva. E no domínio do combate à criminalidade, o Corpo de Intervenção continua a prestar o seu serviço aos são-vicentinos, pelo que tem em curso um plano de acção de vigilância nos locais considerados como pontos negros da criminalidade e de predominância de ataques dos caçubodistas.

Pelo que nos últimos dias, o CI realizou uma operação policial para identificar e recuperar produtos roubados por um grupo de indivíduos que estava a actuar nas imediações do Mercado da Ribeirinha, da Cadeia de São Vicente, Alto Sentina, Impena, Vila Nova e Lombo Tanque.

Investigação

Segundo o que apurámos os agentes da CI recuperaram vários objectos de uso pessoal, telemóveis e carteiras que foram roubadas a pessoas que circulavam por essas zonas. E foi identificado um grupo composto por mais de 10 indivíduos, com cadastro policial por prática de caçubody e que assumiram a autoria de crimes contra pessoas.

Este online sabe que o Corpo de Intervenção vai prosseguir com as investigações para apurar outros casos que possam estar ligados aos indivíduos, bem como manter o trabalho noutras áreas consideradas como pontos negros da criminalidade. E que a Brigada de Investigação Criminal pode vir a colaborar nessa investigação com a CI, cujo propósito é entregar uma participação com o relato dos casos e dos factos às instâncias judiciais para que tomem medidas de prevenção geral previstas na lei contra os indivíduos referenciados como caçubodistas.

  1. Jisilene

    Comandante Pól Schocada kel trabói k bo faze la ne
    Tchetchénia tchá tud gent impressionod, bo e korajoso, kontinua te
    taka kes demon pq no te infrontod principalmente kel gang D´Ary, Di
    Carteira e Chamchim tem nôs infrontod k bo das trégua e kontinua te
    konta k nos apoio, no te informob sempre pq já no oia k unico
    plícia e te ijda população de Soncent,
    força…………bjsssssssssssssss

  2. Nelson Xavier

    São Vicent te sinti orgulho em tem um plícia moda bô, jovem
    kontinua te trabaia kess mesmo espirit, brio e dignidade pq no te
    sinti falta de bô, chefe, um abração p bo ma bo grupo, força p tud
    bos kolega, abçssssssssssss
    Póllllllllllllllllllllllllllllllll

  3. Filomena Soares

    Senhor Pól, um pensa k nhe fidje já k tavba recupera sis
    pertence kakel gang de Tchtchénia tral, mas graças a bo acção e
    dedicação mem sirvi pov de soncent, jal konseguich e bo k sabe k
    alegria kel te sinti e k veneração kel tem pa bo, bo é um Deus ness
    ilha, forçaaaaaaaaaaaaa grande3 policial e acima de tud grand home,
    ki«ontinua te ijda nos ke tud dia no reza pa bo Deus te
    kompanhob

  4. S Vicent

    ………………

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.