Uma escola primária nunca tem tudo

24/05/2012 00:01 - Modificado em 24/05/2012 00:33
| Comentários fechados em Uma escola primária nunca tem tudo

A Escola Jovino Santos celebrou o seu 14º aniversário. A escola aproveitou essa oportunidade para homenagear os vários parceiros que têm trabalhado com a escola e que ajudaram a ser o que a escola é hoje. Em sinal de agradecimento foi desterrada uma placa com o nome de todos as empresas e instituições que de alguma forma contribuíram para a escola.

 

Adélia Santos, gestora da escola, expressou os agradecimentos a todos e que sem os parceiros nada teria acontecido. “O vosso gesto foi e será sempre apreciado porque contribuíram por amizade e com elevado sentido de cidadania”.

Vários foram os parceiros da escola que marcaram a presença nas actividades que a escola realizou. Apresentações de música e dança por parte dos alunos. E cada um foi prestigiado com um diploma de agradecimentos pela colaboração.

A escola que serve a comunidade de Ribeirinha/ Chã de Faneco tem buscado nos apoios forma de modernizar e melhorar a escola.

Manuel Veríssimo, representante dos pais, fala da importância da escola na vida dos alunos ao afirmar que “vem cumprindo o seu papel na promoção social, moral cultural e económica dos futuros homens e mulheres”. O delegado da educação da ilha, Anildo Monteiro deixa o desafio aos estudantes de continuaram a estudar e a procurarem ser sempre os melhores, e evidenciado o papel importante da escola no desenvolvimento da comunidade ao redor.

A escola começou a funcionar em 1997 com apenas três blocos, seis salas e com um enorme espaço baldio de terra batida. Nesses catorzes anos foram construídos,mais um bloco com duas salas e com remodelação na cantina, direcção e a construção de uma placa desportiva.

Na certeza que uma escola nunca está pronta a gestora conta com os demais parceiros para os próximos catorze anos.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.