Cine-Clube do Mindelo Conquistando o público Mindelense

4/06/2013 01:22 - Modificado em 4/06/2013 01:22
| Comentários fechados em Cine-Clube do Mindelo Conquistando o público Mindelense

mindelo cidadeA Associação “Cine-Clube do Mindelo”, única organização oficial que promove a divulgação de películas originais caminha para os seus três anos de existência. O segredo da sua sobrevivência é a grande questão levantada pelo NN, considerando as dificuldades tanto em termos de produção como de aquisição de originais. A paixão pelo cinema e, sobretudo, a vontade de resgatar o clima cinematográfico perdido com a extinção do cinema EdenPark e do Cinema Miramar faz com que a iniciativa perdure e esteja a ganhar, com o passar do tempo, mais espaço junto do público

“Caminhar com passos curtos e firmes” é assim que a presidente da Associação, Celeste Fortes, explica a continuidade e sucesso desse projecto no Mindelo. “Quando pensamos no Cine-Clube começamos a tactear o terreno. Não viemos com grandes projectos. Pensamos o Cine-Clube ano a ano e isso tem servido para respirarmos sempre”, explica Fortes, sublinhando ainda as parcerias com Instituições como o Instituto Universitário de Arte, Tecnologia e Cultura (M_EIA), a Aliance Française (AF) e o Centro Cultural do Mindelo (CCM) que ao longo dos tempos tem vindo a patrocinar o projecto seja em termos financeiros, seja na cedência de colecções de filmes originais e também do espaço para as cessões que neste caso têm sido feitas no CCM.

Contudo, avança a presidente, a partir deste ano, a sustentabilidade do Clube vai passar a depender dos sócios. As inscrições para o recrutamento de sócios começaram no mês de Maio e já alcançámos cerca de cem integrantes. Cada integrante deverá pagar uma quota mensal de 200 escudos e tem direito a 4 filmes, uma publicação mensal que está a ser preparada e o acesso a ciclos alternativos. “A sua sustentabilidade hoje é possível porque temos sócios, temos parceiros e porque, durante estes dois anos, algumas instituições estiveram a observar-nos e hoje já querem participar connosco”.

Carência de mercado de filmes originais

A aventura começa pela procura de filmes originais quando não existe um mercado nesse ramo em Cabo Verde. Entretanto, com a colaboração de várias instituições e pessoas individuais a procura tem sido possível. “Antes da entrada dos sócios fazíamos parcerias e vamos continuar. Por exemplo, desde o ano passado, se não fosse a AF que tem toda a colecção do festival de cinema africano, FESPACO, nós não teríamos a colecção de filmes africanos que queremos passar. [Para além desta], há ciclos em que alguns particulares nos cederam os filmes”, conta.

“Quando nós pensamos na programação começamos logo à procura dos filmes. Temos a política de passar sempre originais, porque o Cine-Clube é um exercício de cidadania cultural e, para nós exercermos essa cidadania, é preciso respeitar a cultura”, assevera a presidente.

“Trazer o mundo lá de fora através do cinema”

“O nosso objectivo é, sobretudo, trazer o mundo lá de fora a partir do cinema, ou seja, relembrar um pouco o papel que o Éden Parque e o cinema Miramar desempenharam e que era o de pôr as pessoas aqui em São Vicente em contacto com o mundo: pôr as pessoas em contacto com outras culturas, com outras nacionalidades, outras línguas a partir do cinema” afirma Fortes, lembrando que se deve pensar no cinema como um instrumento que também pode impulsionar a reflexão tanto da cultura nacional como da cultura que se faz fora de Cabo Verde.

“Há algumas pessoas, por exemplo, que não gostam de cinema africano, mas acho que não se trata tanto de gostar, quanto o facto das pessoas não estarem, pedagogicamente, educadas para verem aquele tipo de cinema”, explica.

Fortes adianta ainda que um dos projectos em carteira será a criação de uma publicação ainda por definir, “porque o Cine-Clube não pode ter apenas a função de projectar filmes. Nós pensamos sobre o cinema, queremos passar informações sobre ele – sobre os realizadores, sobre o que é o cinema de Holiwood, de Bollywood, sobre o que é o cinema da Nigéria e a FESPACO. Nós queremos educar as pessoas também através da escrita: do ponto de vista cinematográfico”, finaliza Fortes.

 

 

LINKS:
Eden Parkhttp://edenpark.org/

 

FESPACO:http://it.wikipedia.org/wiki/Festival_Panafricain_du_Cin%C3%A9ma_de_Ouagadougou

 

Bollywood: http://pt.wikipedia.org/wiki/Bollywood

 

Cinema da Nigéria:http://pt.wikipedia.org/wiki/Cinema_da_Nig%C3%A9ria

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.