Moradores pedem a intervenção do Ministério Público

30/05/2013 01:02 - Modificado em 30/05/2013 01:02

agressoesA Brigada de Investigação Criminal vai entregar uma participação policial ao Ministério Público a revelar as razões de um confronto entre jovens da zona de Cruz João Évora e da Ribeirinha que dura há cerca de um mês. Isto porque, os moradores da zona de Cruz estão apavorados com a situação, pois os intervenientes transformaram o bairro em campo de batalha utilizando pedras e garrafas durante os confrontos.

 

O NN apurou que um grupo de jovens das zonas de Cruz João Évora e Ribeirinha estão em conflito devido a uma rixa que envolveu alguns dos intervenientes. Perante essa situação, os indivíduos da zona da Ribeirinha deslocam-se ao bairro da Cruz, à procura dos rivais e quando se deparam com os opositores, a confusão instala-se e a Polícia Nacional é chamada a intervir.

 

Confrontos

Segundo informações colhidas junto dos moradores “o conflito entre os dois grupos de jovens veio transformar as zonas de Cruz e Espia em campos de batalha. Não sabemos o motivo dessa rixa, mas o certo é que quando travam a luta geram-se momentos de pânico para os residentes e transeuntes, porque atiraram pedras e garrafas sem reflectirem sobre as lesões que poderão causar às pessoas e os prejuízos às viaturas ou residências”.

Mas a verdade é que esta rivalidade não se quedou apenas por um único confronto, os entrevistados sublinham que a rixa dura há várias semanas e que o cenário se repete com maior regularidade aos fins-de-semana.

 

Intervenção

Os moradores afirmam que o Comando da Polícia Nacional está a par da situação, pelo que quando foi accionado para sanar os confrontos fez deslocar ao local agentes das Unidades Policiais que compõem a Polícia Nacional em São Vicente.

Este online sabe que a geografia das zonas de Cruz João Évora e Espia permitiu aos beligerantes de fugirem quando se depararam com a presença de agentes da PN. “Os indivíduos da Ribeirinha conseguiram fugir pelas encostas dessas localidades e os que residem nessas zonas conseguiram esconder-se em residências. Mas a Polícia já está na posse da identificação dos intervenientes, por isso, esperamos que as instâncias judiciais tomem medidas para punir os infractores”.

 

Investigação

O NN apurou que a Brigada de Investigação Criminal esteve no terreno a investigar e que foram identificados 19 jovens, cujos indícios apontam que participaram nos confrontos. Sabe-se que os indivíduos foram interrogados no sentido de apurar os motivos que activaram essa rixa, mas ao que tudo indica trata-se de “ajustes de contas, por motivos de ataques” entre alguns elementos dos dois grupos.

Este online sabe que a participação a ser entregue ao MP, tem como propósito o de fazer com que as instâncias judiciais adoptem medidas de prevenção contra os intervenientes no conflito e permita que os moradores possam ter o seu sossego de volta.

 

  1. Manel

    Danos materiais: Zona de espia – Domingo: Para-brisas de um carro quebrado por esses larápios!!

  2. Mindelense

    As vezes fico pensando se vivemos num mundo real ou de desenhos animados! Equipada como está nossa PN, e com as informações que já têm, que dificuldades se poderá ter para travar um grupo de delinquentes, parasitas e bandidos que nem devem ter 60kgs, se calhar, menores de idade, e o cúmulo, de brigarem com pedras e garrafas? São esses mesmos que depois são encontrados pela BAC em esquinas prontos para agredir pessoas inocentes, vêem reclamar de violência policial!

  3. Sim e Não

    Epa, sao vicente, lugar tão piknim, e ainda a energumes pre li te forma grupim pe briga??? mão pesada da justiça, isso e kes merece, ou então de um tropa de elite pe das um surra da bo na camim. Hora de pena de morte na area.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.