Incêndio numa residência: Homem escapa da morte, mas sofre queimaduras graves

29/05/2013 00:05 - Modificado em 28/05/2013 22:28

fogo-casaUm homem com cerca de 50 anos, residente na zona de Monte Sossego sofreu queimaduras graves durante um incêndio que deflagrou na sua residência. Segundo o que apurámos, o homem adormeceu e deixou uma vela acesa que ateou o fogo à casa. As chamas consumiram todo o recheio que havia no interior da habitação, e o caso só não terminou em tragédia porque a vítima teve ajuda para abandonar a habitação.

 

Nas últimas semanas, a ilha de São Vicente tem registado vários casos de incêndio em residência. E neste fim-de-semana, a zona de Monte Sossego voltou a estar inserida no panorama do relatório de ocorrências de incêndios na ilha de São Vicente, que continuam a causar vítimas e prejuízos aos residentes.

Desta vez as chamas não deflagraram numa casa de lata, mas sim num quarto de betão, onde vivia um cidadão de nome Pascoal. O caso aconteceu no sábado por volta das meia-noite, na Rua 2 do Monte Sossego, e o alerta do incêndio foi dado pelos moradores que accionaram o Corpo de Bombeiros, que deslocaram-se de imediato para o local para prestar auxílio a vítima e extinguir o fogo.

O morador que se encontrava dormir foi atingido pelas chamas e foi transportado para o Hospital Baptista Sousa. Devido as queimaduras graves que sofreu no corpo, o homem foi conduzido ao Banco Operatório para receber tratamentos médicos, e agora está internado nos Serviços de Cirurgia.

Segundo o que apuramos “o estado de saúde do paciente é grave, uma vez que sofreu queimaduras de elevado grau em diversas partes do corpo. O seu estado clínico inspira cuidados regulares, pelo que está sujeito a tratamentos médicos para tratar-lhe as queimaduras, de modo que se espera que o paciente venha a recuperar das lesões”

  1. Jorge Barbosa

    Para vossa informação o caso não aconteceu por volta da meia noite como diz o vosso jornal mas sim antes das onze da noite onde que vizinhos e moradores que estavam acordados a essa hora podem comprovar. Devo ainda informar que moradores ao tomarem conhecimento do incêndio accionaram o corpo dos bombeiros tiveram a resposta de que o número 131 não se encontrava disponível, após várias insistências a resposta era a mesma, e por fim acabou dizendo que o número estava bloqueado. E tambem não corresponde à verdade como noticia o vosso jornal, que o corpo de bombeiros deslocou de imediato ao local, mas sim cerca de 25 minutos depois dos moradores terem dado conta do sucedido.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.