Cadeia de São Vicente: Prisioneiros não vão passar fome, se MJ atender às propostas dos cozinheiros

28/05/2013 00:05 - Modificado em 28/05/2013 00:11

cadeia de ribeirinha_jas 2Depois dos agentes prisionais anunciarem uma nova greve, foi a vez dos cozinheiros da Cadeia de São Vicente anunciarem a entrada em greve. Mas para evitar que os reclusos detidos no presídio fiquem sem comida e sem vigilância dos agentes prisionais, o Ministério da Justiça abriu-se para o diálogo com as duas classes, na tentativa de encontrar uma solução para as suas reivindicações.

O NN contactou o secretário permanente do Sindicato dos Trabalhadores da Administração Pública, sindicato que representa os quatro cozinheiros da Cadeia de São Vicente para saber como está a decorrer o processo de negociações com o MJ, uma vez que esses funcionários tencionam paralisar os trabalhos, se as suas reivindicações não forem atendidas: aumento salarial, subsídio de risco e melhoria das condições de trabalho.

Eduardo Fortes sublinha que o SINTAP foi contactado pelo Ministério da Justiça no sentido de haver diálogo entre as partes, em vista da do problema. O secretário permanente do SINTAP afirma que o sindicato e os cozinheiros aceitaram o pedido do MJ, pelo que está em marcha um processo de negociações para se encontrar uma solução adequada e que satisfaça ambas as partes.

O sindicalista salienta que “fizemos duas propostas ao MJ, isto é, o enquadramento do pessoal no novo Plano de Cargos, Carreiras e Salários, PCCS da função pública, ou seja, um enquadramento que se coaduna com as suas funções. A outra proposta seria a integração de três dos quatro cozinheiros no Corpo de Agentes Prisionais, uma vez que realizaram a formação e estágio. Porém, não tiveram uma oportunidade de seguir carreira e foram colocados de novo na profissão de cozinheiro”.

Eduardo Fortes garante que os cidadãos têm habilitações e requisitos para integrarem o Corpo de Agentes Prisionais. Neste sentido, a decisão de paralisar os trabalhos foi ponderada, pelo que a classe privilegiou a abertura do MJ para o diálogo e espera-se que a situação fique resolvida no mês de Junho.

O secretário permanente concluiu dizendo que a questão dos equipamentos de trabalho está a ser tratada e que, em suma, o Sindicato como representante dos cozinheiros espera a conclusão do processo e que o resultado final seja a satisfação para esses trabalhadores.

  1. Tvp

    ONTEM A MINISTRA SARA LOPES LEMBROU DA NOSSA SAUDOSA TVP INSULTANDO O DEPUTADO CARLOS VEIGA. PAXENCHA!

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.