Um testemunho sobre a doença da Anorexia

24/05/2013 23:26 - Modificado em 24/05/2013 23:26

anorexia“Crescer Longe de Ti – um testemunho” é o nome do livro apresentado esta quinta-feira, dia 23, no auditório da Uni Mindelo, pela enfermeira portuguesa Noélia Santos. Um testemunho na primeira pessoa, onde retracta todos os pormenores da duríssima batalha que travou contra a Anorexia.

 

Sem receios nem preconceitos, no meio de um auditório repleto de gente – estudantes de psicologia e técnicos de saúde – Noélia conta como foi viver com a doença da Anorexia: do sofrimento, das sequelas, mas também das amizades e do impulso que a levou a ingressar no curso de enfermagem.

“É um livro que retrata um duplo sentido: o crescer longe do meu pai, portanto, fala da sua ausência e do impacto que teve em mim – a forma de como vivenciei o luto dele – e também crescer com uma doença que foi muito difícil de ser ultrapassada, que quase me roubou a vida”, conta Noélia para quem foi uma “experiência muito complicada, muito dolorosa, mas que felizmente” conseguiu ultrapassar.

A ideia de lançar o livro no Mindelo deveu-se não só a uma parceria estabelecida entre a Uni Mindelo e a Escola de Enfermagem de Lisboa, mas também ao desejo da própria em publicar o livro na terra que viu crescer a sua avó materna, apesar desta ser natural da ilha de Santo Antão. “Foi um privilégio grande partilhar este momento aqui no Mindelo, até porque a minha avó tem um simbolismo muito grande na minha vida e em tudo o que eu vivenciei. Acho que faz todo o sentido”, adianta a enfermeira.

 

“Uma mais-valia para os profissionais da saúde”

Embora não seja uma doença muito visível em Cabo Verde, “é muito importante para nós, enquanto profissionais de saúde, termos esta noção, esta oportunidade de ouvir os testemunhos de vida para, de uma certa maneira, arranjarmos estratégias para lidarmos com as pessoas. Quer seja aqui, quer seja noutro país qualquer, acho que é fundamental”, esclarece Santos.

A mesma ideia é partilhada pela psicóloga clínica, Rosangela Varela para quem se traduz numa iniciativa inovadora “pelo facto de, sendo ela uma técnica de saúde, vir aqui expor a sua doença” e sendo este o carácter que a motivou a partilhar connosco as suas experiências, acho que poderá ser uma mais-valia, sobretudo para as pessoas que estão a ingressar nesta área, pois ficam com uma visão mais alargada sobre a doença e, evidentemente, estarão mais susceptíveis de aprimorar as próprias competências nessa área para ajudarem outras pessoas”.

 

  1. Ricardo

    Nasci em Cabo Verde e quase durante 20 anos sofri de anorexia mas forcada. e até hoje em dia milhares de cabo-verdianos são também atingidos em Cabo Verde por esta praga.
    Seria uma boa terapia enviar as pessoas que vivem nesses países ditos (até agora) ricos para CV uma temporada. E todos sairiam a ganhar.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.