Humberto Lélis: “o presidente do CS Mindelense foi muito precipitado e ingrato”

17/05/2013 13:43 - Modificado em 17/05/2013 13:43

LelisA Câmara Municipal de São Vicente reagiu às declarações do presidente do Clube Sportivo Mindelense que afirmou que a CMSV não tem apoiado o clube que representa a ilha no Campeonato Nacional de Cabo Verde 2013. O vereador do Desporto classifica a declaração do presidente do CS Mindelense como “muito precipitada e ingrata”, uma vez que a CMSV tem apoiado os clubes que representam a ilha no Campeonato Nacional de Futebol.

Humberto Lélis, vereador do Desporto sublinha que “a Câmara Municipal apoia os clubes representantes da ilha após o início do Campeonato Nacional, após conhecermos as dificuldades enfrentadas pelo clube. Pois entendemos que todo o clube com ambição ganhadora como o nosso Mindelense tem de prever e planificar a participação na competição máxima do nosso futebol”.

O vereador do Desporto relembra a participação do CS Mindelense em edições anteriores do Campeonato Nacional e afirma que a CMSV ao tomar conhecimento das dificuldades do clube prestou apoio em diversos níveis: atribuição de um subsídio de 500 contos para a participação no Campeonato Nacional, para além do habitual subsídio de 200 contos atribuído a todos os clubes que participam no Campeonato Regional.

Apoio

Mas os apoios da CMSV ao Clube Sportivo Mindelense não ficam apenas pela atribuição de subsídios, a edilidade assumiu o transporte local do Mindelense e dos clubes visitantes durante o Campeonato Nacional, e ainda cedeu facilidades aos Leões da Rua da Praia no Estádio Adérito Sena durante os treinos e organização de jogos.

Humberto Lélis salienta que o presidente do CS Mindelense foi “ precipitado e ingrato, pois já recebeu nos anos anteriores vários apoios da CMSV. Quando ainda somente se realizou a primeira jornada do Nacional, e sabendo que terá nas próximas jornadas muitas despesas por assumir e procurar parceiros e apoios, nomeadamente junto da CMSV, vem lamentar-se do apoio que sempre teve da autarquia”.

Resolução

A Câmara Municipal de São Vicente esclarece que devido a um desacordo de agenda entre as partes, ainda não foi possível haver o encontro “desejado”. Mas que nos próximos dias vai haver uma reunião com os dirigentes do clube, para acertar o que será possível estabelecer, de modo a ajudar o CS Mindelense no Campeonato Nacional.

“Os ruídos provocados com esse impasse não passam de ruídos. Tudo será resolvido enquadrado nas capacidades do Município de São Vicente. Devemos agir e apoiar de acordo com as nossas capacidades e disponibilidades financeiras. A CMSV continuará a apoiar o desporto e os clubes da ilha salvaguardando o interesse dos munícipes” garante o vereador do Desporto.

Humberto Lélis conclui dizendo que todos os cidadãos querem que o CS Mindelense ultrapasse os problemas, e que tenha uma boa participação no Campeonato Nacional para o bem do desporto são vicentino.

 

  1. Soncente

    ESSE ADILSON Ê UM BOM ARROGANTE E ATREVIDO. ELE NAO SERVE PRA ESTAR COMO PRESIDENTE DO MINDELENSE. ELE DEVIA MAS EH ESPLICAR ONDE EH QUE FOI COM O MONTANTE Q CAPE VERDE DEVELOPMENT NA PESSOA DO SR TOM ENTREGOU PARA O NOSSO CLUBE MINDELENSE.

  2. AB

    Mais esta, afinal Sr Vereador, além de ser fraquinho no domínio da Cultura é ainda pior no Desporto.

    Sina triste essa de São Vicente está Lélismente condicionado e decididamente no fundo.

    Muito estamos feitos com este SR.

  3. mindelo

    no tem q para e pensa sera q um club q ta paga 600 conto so em salario de jogadores nos pobre camara tem q ajudal ? salaria q nem tude empresa ta pode suporta sera q es dinhero de camara ca era mas bem emprego na outras coisa q nos mindelo tem falta mindelense e um empresa no tem repensa nos ajuda kem sabe entao da mas pa formacao e muito mas bem gasto

  4. Soncent

    Ah Humberto! Ate conde que alguem tem que aturob?

  5. B B King

    O Adilson fez exactamente aquilo que CMSV vem fazendo com o Governo Central, ou seja, reclamar, reclamar e reclamar.
    Portanto, o Lélis não tem nada a dizer. Para se conseguir alguma coisa junto da Câmara é-se obrigado a ir a Comunicação Social. O Benvindo da Associação de Futebol que diga como funciona esta Camara em relação ao Desporto.

  6. olheiro

    clar quex tem falta d apoio estot te paga jogadores moda nhambu duquinha ,etc
    pe dpox bem faze um figura de quel la contra desportiv de praia
    armod em craques ex pensa q tud equipa e igual ma um te espera quex te perde tud jog
    essim q ta tem despesa pa camara

  7. Ludmira

    Este senhor Presidente do CSM está a cometer muitas atrocidades e, há muito que deu “GRANDE GOLPE AOS ESTATUTOS DO CSM” e, ele ta fazendo o que bem entender sem nunca prestar contas aos demais Dirigentes…não tinha conhecimento desse montante que o Sr. Tom da Cape Vert Development mas, tem mais os montantes das transferencias tais como: dos 4 jogadores em Angola, 3 em Portugal e 1 em Noruega…? o Sr. Lélis tem razão quando diz que ele ta sendo precipitado e ingrato pq, a Câmara tem apoiado!

  8. Carlos Silva - Ralão

    Esta situação será resolvida a bem do relacionamento da CMSV e do Mindelense, infelizmente nos trilhos da vida há sempre picardias. Sou da opinião que os clubes que pagam jogadores não deveriam receber apoio da Câmara ou mesmo do Governo, mas sim dos seus patrocinadores. Também acho que o dinheiro investido em salários de jogadores, que não trazem qualquer retorno financeiro, mesmo ganhando competições nacionais, deveria ser parao reforço estrutural e projetos de formação de base dos clubes.

  9. Direcção do CSM 1

    Em nome da verdade deve-se esclarecer o seguinte:
    1) A camara nunca deu 500cts ao mindelense mas sim em 2011 premiou o CSM pelo titulo de campeao de cabo verde. EM 2011.
    2) Os 200cts são para a formação e não pagam desde 2011.
    3) a CMSV deve ao Mindelense 225cts de bilhetes requisitados em 2012, 200cts de subsidio de formação em 2012 e 200cts de subsidio de formação em 2013.
    4) O CSM apenas queria se reunir com a CMSV e apenas pediu que fosse pago os 225cts dos bilhetes devidos.

  10. Direcção do CSM 2

    5) Durante o campeonato nacional 2011 nunca se viu o apoio da cmsv, sim somente após a vitória com a entrega do premio merecido.
    6) Em 2011 e 2012 a cmsv apoiou com o assumir das despesas de autocarro (+/- 50cts), mas em 2013 ainda não confirmou se mantem o apoio pq não houve disponibilidade da cmsv em ouvir o mindelense.
    7) apartir do momento em que CSM se tornou campeao regional de sv o CSM tem tentado se reunir com a cmsv mas sem efeito, apesar dos inumeros mails, notas, chamdas e sms.

  11. Direcção do CSM 3

    8) O CSM não pede ajuda mas sim que a cmsv lhe pague o que deve e se achar por bem e tiver condições para tal apoiar no que for possivel.
    9) Na final na praia em 2011 nenhum vereador da cmsv ou Presidente se deslocaram para apoiar o mindelense, mas em sv na finalissima a cmpraia estava representada em peso com alguns vereadores e o proprio presidente Ulisses devidamente equipado com as cores do Sporting.
    10) o CSM não quer polémica nem afrontar o poder local, apenas quis mostrar a sua indignação

  12. Direcção do CSM 4

    11) Em nome da cordealidade e bom senso que deve reger as relações entre as duas maiores instituições de mindelo, o CSM não fará mais nenhum comentário e aguardará serenamente para quando a cmsv tiver disponibilidade, nos reunirmos.
    QUE NÃO SE CONFUNDA O APOIO EVENTUAL COM A DIVIDA.
    Saudações mindelenses
    Direcção do CSM

  13. socio do csm

    Ess ludmira ma soncente devem se informar melhor pois se lessem o relatorio e contas da antiga direcção encontrarão aas verbas pagas pela Capeverde development. E tb saberiam que quem era o responsavel pelas contas do clube na altura e a unica pessoa que tinha acesso a elas era o presidente na altura sr Augusto Vasconcelos.
    Mindelense em 17 anos apresentou contas umas 2 vezes no maximo e agoram vem reclamar.
    Força Presidente Adilson verdadeiros mindelense estão consigo e com a equipa.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.