Famílias vítimas de incêndio dormem na rua e clamam por ajuda

17/05/2013 00:03 - Modificado em 17/05/2013 00:13

na ruaAs famílias que viviam num armazém na ilha da Boa Vista que foi consumido por um incêndio que provocou a morte de um bebé, continuam a aguardar pela ajuda, uma vez que vivem em situação precária. Depois de passaram a noite ao ar livre, os cidadãos clamam por comida e por um espaço onde possam ser realojados.

Na manhã de quarta-feira, uma oficina de pescadores no bairro de Santa Bárbara, ilha da Boa Vista, onde viviam famílias da ilha de Santiago compostas por 13 mulheres, 10 homens e quatro crianças foi consumida por um incêndio. Para além da morte de um bebé de seis meses, os residentes viram os próprios bens e equipamentos de trabalho a serem consumidos pelas chamas.

Perante essa situação, a Câmara Municipal da Boa Vista anunciou que iria reunir-se de emergência para encontrar uma solução, uma vez que a primeira preocupação era realojar as famílias que viviam no armazém. Os técnicos do Centro de Desenvolvimento Social iniciaram de imediato o levantamento das necessidades mais imediatas, mas as famílias sublinham que da parte das autoridades locais ainda não chegou nenhuma ajuda.

Em declarações à RCV, Silvinho, um dos desalojados afirmou que “desde que o incêndio foi extinto não tivemos ajuda, apenas famílias e amigos a desejarem-nos coragem. Estamos com fome e, até agora, nenhuma pessoa ou representante da CMBV chegou até nós para nos apoiar com géneros e um lugar para ficarmos alojados”.

Lucy, uma mulher que vivia no armazém com dois filhos perdeu todos os bens e agora, espera por ajuda. “Não chegou nada, não temos onde dormir, pelo que iremos passar a noite na rua, porque não temos uma casa onde ficar”.

Os cidadãos salientam que ficaram sem os materiais que utilizavam durante a pesca, uma vez que as chamas consumiram todos os bens e os objectos que estavam no armazém. As autoridades continuam a investigar as causas do incêndio, pelo que vão ser realizadas averiguações para se saber como iniciaram as chamas.

  1. Ludmila Gonçalves

    Como fazer para ajudar estando em outra ilha? Se houver alguma forma, divulguem para que as pessoas pososam agir.

  2. Gabs

    Olá Cabo verde.

    pensei que na Ilha da Boavista Tinha Hoteis, penso por um espaso de pouco tempo antes de resolveran este problema, não seria mal esta familias darem um alojamento.
    Ou estou a dizer algo que é impossivel??????????????

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.