Roubo, furto e receptação: Líder do grupo condenado a seis anos e oito meses de prisão

16/05/2013 00:15 - Modificado em 16/05/2013 01:19
| Comentários fechados em Roubo, furto e receptação: Líder do grupo condenado a seis anos e oito meses de prisão

O Tribunal de São Vicente condenou um homem de 30 anos que liderava um grupo de indivíduos acusados dos crimes de roubo e de furto no estaleiro da empresa Desindava a uma pena de seis anos e oito meses de prisão. O indivíduo que se encontrava em prisão preventiva foi condenado por três crimes de roubo e dois delitos na forma tentada.

 

O 2º Juízo Crime da Comarca de São Vicente procedeu à leitura da sentença de um processo-crime que envolvia 15 cidadãos da zona de Campim, com idades compreendidas entre os 19 e os 47 anos, onde o Ministério Público produziu uma acusação dos crimes de roubo, furto, receptação e tráfico de droga.

Mas o maior peso da acusação recai sobre Natalino “Bina” Brito tido como o cabecilha do grupo que respondeu a acusações de roubo contra pessoas e residências e furto qualificado no estaleiro da empresa de desmantelamento de navios, Desindava.

 

Condenação

E num processo-crime onde o Ministério Público cometeu alguns erros “graves” durante a instrução e que comprometeu as provas para que se pudessem condenar parte dos envolvidos, levou o Tribunal a declarar a nulidade de factos na acusação, pelo que apenas cinco dos 15 arguidos foram condenados incluindo “Bina”.

Desta forma, o juiz condenou Natalino a uma pena de seis anos e oito meses e terá que indemnizar uma vítima no valor de 40 mil escudos. “Foi necessário fazer justiça com equilíbrio, pois a situação é bastante grave. O arguido terá que fazer uma reflexão sobre o seu comportamento e traçar um caminho para a reintegração social” declarou o magistrado.

 

Crimes

Por seu lado, Cleiton “Ticletche” Gomes foi condenado a três anos e dois meses por roubo na Escola Primária do Campim. Já Adilson “Tchabana” Ramos e Patrick “Tatu” Segredo foram absolvidos do crime de roubo, mas foram condenados por tráfico de estupefacientes de menor gravidade. É que a PJ apreendeu 364 gramas de marijuana na casa destes dois cidadãos.

Adilson foi condenado à pena de dois anos e dez meses, suspensa por três anos, e Patrick viu a pena de dois anos suspensa pelo mesmo período. O Tribunal disse aos dois jovens que devem respeitar a lei e evitar a prática de delitos, porque caso contrário, serão enviados para a prisão

O arguido, Aricssandro Gestrudes foi condenado à pena de seis meses de prisão por tentativa de furto no estaleiro da empresa Desindava. Mas por ordem do juiz, a pena foi substituída por 80 horas de trabalho comunitário ao Serviço da Câmara Municipal de São Vicente.

Quanto aos restantes dez arguidos do processo-crime, foram absolvidos porque o Tribunal não encontrou provas que pudessem atestar a prática dos crimes de furto e receptação de que eram acusados pelo Ministério Público.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.