Portonovenses continuam a utilizar praias contaminadas pelas águas de esgotos

9/05/2013 03:17 - Modificado em 9/05/2013 03:17

banhistasAs autoridades sanitárias da cidade do Porto Novo, ilha de Santo Antão, continuam a alertar os cidadãos sobre os riscos que a utilização das praias contaminadas pelo vazamento de esgotos tem para a saúde pública, mas o certo é que as pessoas estão a ignorar esse alerta pondo em risco a própria integridade física.

 

No Município do Porto Novo existem casos de praias que estão a ser contaminadas porque a inexistência de uma nova rede de esgoto permite que as águas sujas desagúem no mar por via de condutas. É o caso das praias de Quitinha, de NhâVininha e do Armazém que não são apenas utilizadas pelos pescadores para actividades pesqueiras, mas ainda pelos banhistas.

O certo é que com o aproximar-se do Verão, os portonovenses começaram a frequentar as zonas balneares, de entre elas, algumas contaminadas pelos esgotos que são despejados ao longo da orla marítima da cidade do Porto Novo.

A praia do Armazém é a mais afectada, estando interdita desde 2007, apesar de ser uma das praias mais frequentadas no concelho do Porto Novo, onde ainda se realizam também eventos desportivos e culturais que acabam por atrair pessoas ao local. De realçar que a Delegacia de Saúde do Porto Novo mantém o trabalho de prevenção e de combate no sentido de evitar a utilização dos locais que perigam a saúde pública.

Quanto à rede de esgotos na cidade do Porto Novo, há mais de dez anos que está saturada e a Câmara Municipal do Porto Novo defende que a solução do problema do vazamento das águas sujas no mar passa pela instalação de uma nova rede de esgotos que consiga responder às necessidades dos munícipes.

  1. Paulo de Sul

    Em 2009 a Câmara Municipal do Porto Novo obteve financiamento da Cooperação Espanhola para o estudo do projecto de rede esgotos e tratamento das águas residuais. Infelizmente, os financiamentos da cooperação internacional têm de ser avalizados pelo Governo. Rosa e os seus colegas do PAICV forçaram o Governo para não conceder o aval, com o argumento de que assim poderiam perder eleições. E agora Rosa?

  2. silvio spinola

    As pessoas fazem o que lhes dão na telha, violam as leis sobre a Vigilância Sanitária, e creio existir autoridades para repor a ordem, existem e são pagas. É inaceitável os banhistas dizer que estão acostumados e pronto. Praia do mar interditado, expor a muitas doenças daquela forma é desafio claro às autoridades locais e esses jovens poderão comprometer em absoluto a gestão sanitária daquele concelho.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.