Os dados de identificação são adulterados

7/05/2013 00:24 - Modificado em 7/05/2013 00:24
| Comentários fechados em Os dados de identificação são adulterados

pj-cvO Ministério Público está a realizar diligências para concluir um processo-crime que investiga uma denúncia de contrabando de motociclos em São Vicente. Este online sabe que sete cidadãos foram constituídos arguidos e que a Polícia Judiciária investiga ainda casos de carros que circulam em São Vicente de forma ilegal através da falsificação dos dados de identificação do veículo.

Por ordem do MP, a Direcção das Alfândegas de São Vicente está na posse de motociclos que deram entrada na cidade do Mindelo sem pagarem os direitos de importação. É que os proprietários cometeram uma infracção fiscal, uma vez que é proibida a montagem do veículo vindo do exterior sem declarar a sua passagem pela alfândega.

Neste sentido, terão de pagar o despacho mais uma coima pela violação de uma lei fiscal. É certo que este caso não fica arquivado, porque sete cidadãos estão indiciados pelo crime de contrabando qualificado e receptação por participação em esquema de montagem de veículos motorizados na ilha de São Vicente.

Por outro lado, a Polícia Judiciária tem em curso um processo de investigação para averiguar as suspeitas de falsificação de dados de identificação de veículos. Isto porque, duas motas foram apreendidas por possuírem os mesmos dados e agora, a PJ realiza diligências para apurar qual dos motociclos circulava pela via do contrabando.

Adulteração

O NN apurou que as autoridades criminais apreenderam, até ao momento, apenas motas, uma situação que veio confirmar que há contrabando de veículos na ilha de São Vicente. Mas que o próximo passo é descobrir se de facto há carros montados na cidade do Mindelo com peças de veículos roubados no exterior.

O facto é que as suspeitas dão a indicação de “haver carros na cidade do Mindelo com proveniência de um presumível esquema fraudulento de importação de veículos. Isto é, os dados encontrados no livrete, como o número de identificação, a cor e a cilindrada, entre outros elementos, não coincidem com as características verdadeiras dos carros, pelo que, com a adulteração dos dados, encontraram uma via para driblar os Serviços de Viação”.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.