PJ aperta o cerco aos suspeitos

2/05/2013 01:12 - Modificado em 2/05/2013 01:12

trafico drogasO Departamento da Polícia Judiciária na ilha de São Vicente continua a não dar tréguas aos sujeitos que lidam com o tráfico de estupefacientes na cidade do Mindelo, e as pessoas que chegam a ilha pela via aérea e marítima na posse de quantidades de droga para fornecer aos “suspeitos traficantes”.

 

A PJ mantém a posição de tolerância zero ao tráfico de droga, e deixa um alerta: “onde quer que encontremos essa prática, vamos agir”. Deste modo, a autoridade criminal pretende trabalhar com “eficiência” e “eficácia” para deter os suspeitos com a ” boca na botija “no sentido de permitir que o Tribunal aplique as normas vigentes na lei que punem o tráfico de droga em Cabo Verde.

 

O NN sabe que o Departamento da PJ em São Vicente tem procurado apetrechar-se com técnicas e tácticas para surpreender os suspeitos durante uma operação de busca. Mas o certo é que essa autoridade mantém o objectivo de “combater ao máximo essa prática ilícita com os meios que tem ao seu dispor, até que o Ministério da Justiça dote a PJ de novas ferramentas para combater o tráfico de droga”.

 

Vigilância

 

Por outro lado, a missão da Polícia Judiciária passa por evitar que informações sobre a execução de operações de controlo extrapolam o foro profissional e chegue aos ouvidos dos suspeitos a serem abordados. Sendo que, a PJ mantém uma relação de trabalho com a Polícia Nacional, e as instituições ligadas às instâncias judiciais, e na base de denúncias que revelam os procedimentos de cidadãos suspeitos de ligação ao tráfico de estupefacientes.

 

Deste modo a Brigada de Investigação ao Tráfico de Estupefacientes e Criminalidade Organizada continua fazer vigilância “apertada” nas imediações das residências de suspeitos identificados, a espera do momento certo para entrar e recolher provas que permitem levar o caso às instâncias judiciais.

 

Fiscalização

 

Mas a vigilância não está a ser feita apenas nas ruas, ou em residências na ilha de São Vicente “há um controlo efectivo da entrada de pessoas no Aeroporto Cesária Évora, e nos portos, pelo que qualquer suspeita dá lugar a uma acção de revista e busca. Tem-se ultrapassado as barreiras com a utilização de procedimentos que permitem apurar que um cidadão pretende entrar na ilha com determinada quantidade de droga”.

 

Com o passar dos meses, a missão da PJ no combate continua a dar frutos com a apreensão de droga em residências, na posse de cidadãos que chegam a São Vicente pela via aérea, ou marítima. Quer escondida no estomâgo, em pertences, ou no solo de habitações, o certo é que a PJ já conseguiu levar vários cidadãos de nacionalidade cabo-verdiana, e estrangeira ao Tribunal, com parte destes a cumprir prisão, por suspeita de tráfico de estupefacientes.

 

  1. Um bom criolo

    A Judi e outras autoridades não querem ver que no Mindelo há varias lanchas voadoras, supostamente finjem ir pescar no alto mar.
    Senhoras e senhores autoridades, não ignoram esta minha suposição.

  2. Um bom criolo

    A Judi e outras autoridades não querem ver que no Mindelo há varias lanchas voadoras, supostamente finjem ir pescar no alto mar.
    Senhoras e senhores autoridades, não ignorem esta minha suposição.

  3. Ivan Gomes

    Falta de lealdade da PJ, a acção que culminou na detenção do individuo e da apreensão começou com a visão do subchefe da pn que posteriormente chamou a PJ. Há que tirar o chapeu a PN, pq a PJ somente efectuopu os testes ao individuo

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.