Semana da Cultura Cabo-verdiana : “língua materna deve ser leccionada nas escolas secundárias”

26/04/2013 00:51 - Modificado em 26/04/2013 00:51

JAP-alunosO Liceu José Augusto Pinto organiza a Semana da Cultura Cabo-verdiana com uma reflexão sobre o ensino do crioulo nas escolas. Dora Pires, professora de Língua Cabo-verdiana, assim como os alunos, defendem que a língua materna deve ser leccionada nas escolas secundárias.

A Semana da Cultura Cabo-verdiana é realizada sob o lema da “reflexão sobre o ensino do crioulo nas escolas”. A professora de Língua Cabo-verdiana é da opinião que “Deve-se introduzir a disciplina de Língua Cabo-verdiana, assim como temos o Francês e o Inglês”. Dora Pires reforça que no quotidiano a comunicação entre os jovens é feita na língua materna, logo, é importante ensiná-la nas escolas. No entanto, o facto do crioulo não ser padronizado para a escrita, não deveria ser uma barreira para a sua aprendizagem porque existe o alfabeto oficial e conhecendo-o já, é possível escrever e aprender a língua materna sendo esta uma forma de combater o “português mal falado”: diz a professora Dora Pires à RCV.

 

Por sua vez, os alunos do 10 º ano do JAP entrevistados são da mesma opinião da professora Dora Pires, ou seja, defendem que o ensino da língua materna deva começar no ensino secundário e, acrescenta uma aluna do JAP que “sendo o crioulo a nossa língua materna, devemos conviver com ele e aprendê-lo na escola, visto que somos identificados pelo crioulo que faz parte da nossa cultura”.

  1. MORGADINHO

    Absurdo ; vivo longe do meus pais e falo o crioulo que eu aprendi desde criânça com os meus pais meus irmaos meus tios minhas tias na rua com os amigos e posso dizer que melhores professores eu nao podia emcontrar !.. Até agora , ninguém me disse que as minhas letras ,- em crioulo – , nao se comprende ou sao complicadas a ler . E quase impossivel aplicar-se o nosso crioulo na escola , por razoes da sua propria existência , ou seja , sendo variantes em que cada ilha fala da sua maneira !

  2. Fora de questão

    Todos nós já sabemos o criolo e todos compreendemos os outros.
    Pricisamos aprender são as linguas estrangeiras, uma vez que vivemos do turismo.
    mais nada.
    Concordo plenamente com o Morgadinho.

  3. Julio Goto

    Nao nos venha dizer que ovariante Badiu fardado de lingua materna e a lingua de todos os Caboverdeanos. Quando escuto a RCV consigo diferenciar os locutores de Barlavento e Sotavento.
    A Norwega o pais mais rico do mundo tem problemas com duas linguas oficiais o Bokmål e o Nynorsk tem imensas problemas e barreiras . Nao a lingua do laboratorio do Manuel Veiga ,Manuel Gonsalves,Markianu ,Montrond ou Trapo e o restodos
    A arma
    L letal
    U unificada
    P para
    E extincao do
    C Criolo das ilhas

  4. Eduardo Oliveira

    Dêm chupetas ao Marcianu e ao Veiga. Assim deixam-nos em paz com esta charada. Dizer que o alupec é alfabeto oficial é um acto ditactorial e garantir que os alunos vão “escolher” é sonhar. Ê possivel que alguns cancros que têm dificuldades com as linguas mais usadas optem por esta chinesice para obter a média. Mas que meditem bem porque com isso so têm a vantagem de trabalhar para o paigc

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.