A lista negra dos acidentes de viação : 117 acidentes, dois mortos e 36 feridos no primeiro trimestre

23/04/2013 00:48 - Modificado em 23/04/2013 00:48

acidenteOs registos da Polícia Nacional revelam que em 2012 houve 484 acidentes que causaram sete mortos e 191 feridos, 36 dos quais com lesões graves. E no primeiro trimestre de 2013, já foram registados 117 acidentes, com duas mortes e 31 feridos.

 

Nas estradas da ilha de São Vicente existem histórias de acidentes de viação que muitas vezes nem as próprias vítimas conseguem compreender. São histórias de pessoas que trazem no corpo e na mente lembranças de um dia marcado pela dor, lágrimas e desgraça.

O relato de acidentes na ilha de São Vicente faz parte do dia a dia, porque alguns condutores teimam em transformar as estradas em pistas de corrida, assim como as pessoas trocam os passeios pelas estradas. Para as autoridades, o excesso de álcool e a negligência por parte de condutores e peões nas estradas definem o panorama dos acidentes em São Vicente.

Na realidade, o perigo de se registar um acidente está à espreita em qualquer lado, por culpa dos condutores que não aprenderam as regras de trânsito ou dos cidadãos que não cumprem os próprios deveres como peões.

Este online sabe que há cidadãos que defendem a necessidade de disciplinar os peões e os condutores de modo a evitar tragédias nas estradas. Para algumas pessoas, “o primeiro passo seria a educação rodoviária nas escolas de condução e campanhas de sensibilização dos peões”.

 

Ocorrências

 

Em qualquer rua do Mindelo, nos bairros ou nas estradas de acesso à Baía das Gatas, São Pedro ou Calhau encontramos sinais de acidentes com mortes e histórias de vida que não se apagam da memória com o passar dos tempos.

Os registos da Polícia Nacional revelam que em 2012 houve 484 acidentes que causaram sete mortos e 191 feridos, 36 dos quais com lesões graves. E no primeiro trimestre de 2013, já foram registados 117 acidentes, com duas mortes e 31 feridos.

Os números das estatísticas da PN em relação à sinistralidade nas estradas de São Vicente não param de crescer. Em cada acidente há uma história para contar, causada pela condução sob efeito do álcool, manobras perigosas, circulação ou travessia de indivíduos pela estrada.

 

  1. SV

    1 – Reportagem muito pobre. Podia ser melhor contada, mas preferiram mostrar o drama atraves dos numeros, que pecam por pouco. Graças a Deus, os numeros não são maiores, entretanto, vão aumentar com certeza, se nada for feito. Em todos os lugares do mundo, as principais causas de acidentes são o excesso de velocidade, codução sob efeito do alcool e desrespeito as demais regras de transito. Portanto, SV não seria e nem será excepção. É uma tendencia natural.

  2. SV

    2 – Se já conhecemos as consequencias nefastas, porque não atacar as causas? Sendo os condutores e peões, os actores principais do filme (acidente) é facil colocar todas as culpas em cima deles. Mas não é assim, ou não deveria ser assim. Há muitos outros culpados e até são os principais: Governo, CMSV, Polícia e DGTR. Afinal, a fiscalização é precaria, a estrada Calhau – Baia é uma pista de manobras radicais, péssima sinalização e a maioria dos cruzamentos e entrocamentos de SV não têm sinais.

  3. SV

    3 – Em SV há uma mania nos entrocamentos de ver a prioridade pela importancia da via, quando deveria ser vista, como diz o Codigo de Estrada, isto é, pela regra geral de prioridades, ou seja, quem se apresenta pela direita tem prioridade. Operações STOP só sao feitas nos finais de semana, nas estradas fora da cidade, nas horas em que os condutores estao vindo das praias. Tudo isso cria um certo conforto aos motoristas, que se aliada a falta de educação, dá nisso: muitos acidentes.

  4. Nuno

    Tem toda razão, como perito todos os dias sou confrontado com condutores que dizem que estavam numa estrada principal, ou não estudaram o código de estrada ou fazem-se de burros. Também existe uma outra questão sobre os stop que a Camara escreve no piso, induzindo ao erro pois se não houver sinalização vertical, a inscrição Stop na via não tem qualquer valor, os responsáveis pela sinalização da Camara parece que também precisam de uma reciclagem.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.