JMN chama Veiga à Várzea: intervenção do FMI como pano de fundo?

17/04/2013 00:22 - Modificado em 17/04/2013 00:22

jmn5O Presidente do MpD, Carlos Veiga, interrompeu a visita que estava efectuar a São Vicente para um encontro, hoje, às 10h, com o primeiro-ministro José Maria Neves. O site caboverdedirecto escreve que “O inesperado convite do Primeiro-ministro ao líder da oposição terá como pano de fundo a situação económica e o alegado pedido de apoio ao principal partido da oposição para não obstaculizar uma eventual entrada do FMI no país”. O referido site cita analistas não identificados que foram contactados. Segundo o Palácio do Governo, o objectivo do encontro que é de rotina, é o de procurar o consenso entre o Governo e o principal partido de oposição sobre temas como: o Tribunal Constitucional, o Provedor de Justiça, a Comissão Nacional de Eleições, o Estatuto dos Titulares de Cargos Políticos

Portanto, para o Governo as questões económicas não fazem parte da agenda da reunião. Dirigentes do MpD que estão a visitar o círculo eleitoral de São Vicente, dizem desconhecer a agenda do encontro ou se é “inesperado ou se estava programado”. Mas consideram normal que o “assunto sobre um programa estrutural do FMI sobre o qual tanto se especula, seja abordado no encontro”.

  1. antónio dos santos

    NNorte pôs a mão na ferida enquanto a semana tenta braquear o encontro. Este encontro surge por imposição do FMI tentando uma base alargada de 2/3 para implementar um programa de despedimento na função pública, do encerramento de certos institutos, de cortes nas outras despesas sem os quais não há libertação de dinheiro por parte do FMI para pagar salários. Se fosse por desejo do JMN não teria encontro com àqueles que há dias apelidou de terroristas.

  2. Carlos Silva - Ralão

    Entrada do FMI em Cabo Verde? Será o nosso fim, como se tem verificado em todos os países que entraram. Países como Argentina e Equador ou Colômbia (acho eu) negaram pagar as suas dívidas e não pagaram mesmo, no nosso caso deveriamos reivindicar o nosso extatuto de país pobre e de país colonizado e explorado durante durante mais de 500 anos, e ainda por cima por aqueles que nos colonizaram, contribuiram por essa mente colonizada e de pobreza de espírito.

  3. Santos

    Parem de atirar no escuro e dêm uma vista de olhos no que realmente foi o tão comentado encontro!

    http://noticias.sapo.cv/lusa/artigo/16016372.html

  4. Carlos Silva - Ralão

    Pois é caro Sr. António dos Santos, vamos resolver o problema do nosso país é despedindo as pessoas dos seus empregos como quer o FMI? Será o caos social e pela dimensão do nosso território, uii, será o fim. Sofremos e padecemos de uma pobreza, para além da falta de recursos, de uma colonização que sempre é negativo e ainda de políticas de exploração e de destruição por parte dos países mais ricos, e ainda vamos ter que alinhar nas políticas sujas e destrutivas do FMI? Não, não, não……..

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.