Teatro no Mindelo: ter ou não ter apoios eis a questão

16/05/2012 00:34 - Modificado em 16/05/2012 00:34

Os grupos de teatro do Mindelo têm recebido alguns convites para participarem em festivais de teatro no estrangeiro. O que deveria ser uma alegria, por ser o reconhecimento internacional dos grupos, entre outras coisas, acaba por seu uma” grande dor de cabeça”. Isto porque os grupos não têm meios financeiros para custearem as deslocações.

Foi este o drama que o grupo Solaris viveu após receber o convite para participar no Festival Internacional de Teatro e Artes de Angola. E é o problema que o Grupo “ Crac’o’tchod” esta a enfrentar agora depois de ser convidado para participar num festival de teatro no Brasil. Os agentes e produtores de teatro apontam as baterias a autoridades locais e nacionais que nos eu entender não subsidiam os grupos de teatro e falam de descriminação.

Herlandson, do grupo Solaris, revela que se o grupo tivesse um subsidio anual por parte do ministério da cultua ou Câmara Municipal o problema do financiamento não se colocava ”. Herlandson diz que todos sabem das e dificuldades em encontrar patrocinadores para ajudarem em viagens para o exterior. “Na sua óptica se os grupos tivessem um subsídio anual isso os obrigaria a trabalharem mais porque se preocupariam apenas com a parte artista e não “com os negócios”.

O teatro de São Vicente há muito que ultrapassou as fronteiras domésticas e os grupos de teatro da cidade são, constantemente, solicitados para participarem em festivais internacionais, mas não têm meios. Isto, porque no entender dos responsáveis que o NN conversou “ não existe uma política cultural nos pais para divulgar o que os grupos produzem “. E quanto ao mecenato? “ ´ É só blá blá e quanto ao mecenato existe, mas é só para alguns.

Herlandson aponta o problema mas aponta também a solução. Há que “ pensar em ter uma atitude em criar uma nova relação com o Câmara Municipal e com os parceiros. Mas que esta nova relação não seja momentânea de espectáculo em espectáculo mas uma relação prolongada, uma relação mais estável”.

  1. Pulu

    Dia qum for president da Camara,bezote dos teatros ta ba comprendè qe Sancent è pobre pa estode ta gastà recursos finansseros com teatrices num cenario de crise economica mundial. Bezote fazè mod a deus dexi na terra e ranjà traboi de home!!

  2. É ver a maneira triste e porcamente como o João Branco abandonou o Teatro em São Vicente com o seu Mindel Act que transferiu para Praia lá onde há dinheiro.Hoje já
    não há sentimento e esse homem como muitos outros deixou tudo pairando no ar sem concluir…

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.