Arquitectos denunciam: Desenhadores ilegais põem em causa qualidade urbanística da cidade do Mindelo

15/04/2013 00:32 - Modificado em 15/04/2013 00:32

arquitectura“Mais de setenta por cento dos projectos de construção aprovados em São Vicente são feitos por desenhadores”. Quem o diz são os próprios arquitectos em exercício na ilha, facto que contribui para uma maior fragilidade da classe e, consequentemente, para uma “má estruturação da cidade do Mindelo”.

 

“Actualmente, estamos a atravessar um período difícil, precisamente porque há um exercício ilegal e desleal da nossa profissão. Os projectos têm vindo a ser assinados não só por desenhadores, mas também por topógrafos e mesmo por pessoas que não têm nenhum conhecimento na área”, afirma o arquitecto Evandro Matos que adverte para o facto de serem os próprios arquitectos a assinarem esses projectos.

Trata-se de um problema que põe em causa a “sobrevivência da própria profissão”, explica o arquitecto Jorge Dias, assinalando o aspecto da desvalorização do trabalho arquitectural por parte das próprias pessoas que solicitam os projectos e que vêm esses projectos como forma de adquirir uma licença de construção, “enquanto que um projecto é feito para optimizar os investimentos”, sublinha.

 

Problemas graves

 

O facto é que estas ilegalidades têm-se traduzido em “problemas graves para o meio ambiente”, afirma o arquitecto Adelino Dias que adverte para a questão da estruturação urbanística da cidade com “projectos feitos quase todos iguais, sem qualidade arquitectónica”. Do mesmo modo, Matos exemplifica com as construções feitas na periferia da cidade resultantes da falta de profissionais com conhecimento em matéria, capazes de criar projectos com maior qualidade.

 

Fiscalização

Relativamente à fiscalização, o vereador do planeamento territorial, Rodrigo Rendal, diz que a Câmara Municipal tem trabalhado em conjunto com a ordem dos arquitectos para que se possa resolver o problema e que, “neste momento, qualquer projecto que dê entrada na Câmara Municipal só será aprovado” mediante comprovativo de que o arquitecto esteja devidamente regularizado e inscrito na ordem”. Posteriormente, a Câmara passará a utilizar o Sistema de Informação Municipal, SIM: uma aplicação informática desenvolvida pelo Núcleo Operacional para a Sociedade de Informação, NOSI, em conjunto com a ordem dos arquitectos que permite a gestão online da inscrição dos membros da Ordem e a actualização da lista dos arquitectos. Neste momento, está a ser usado em fase experimental na Câmara da cidade da Praia. Até que o sistema seja implementado na ilha, Matos adianta que a ordem tem estado a fazer um levantamento dos projectos realizados desde 2010 até este momento “precisamente para combater o problema”.

  1. Opinião

    Os arquitectos formados falam agora, mas com certeza quando estavam também a estudar tiveram dificuldades e necessidades de recorrer a isso… Esses arquitectos também não ajudam a combater o problema porque muitos não disponibilizam a dar um estágio para esses estudantes, ainda por cima muitos não pagam um centavo a eles… O curso é caro e muitos passam por dificuldades para realizarem os seus sonhos e tentam conseguir um trabalho para ganharem alguma coisa nem que seja pouco mas ninguém ajuda.

  2. Opinião

    Esses arquitectos parecem querer ganhar e enriquecer sozinhos e depois muitos não acompanham o avanço das tecnologias e ficam colados ao passado e ainda pensam que eles são melhores que todos, os maiores arquitectos do mundo. Pois, há muitos estudantes de arquitectura com muita capacidade e qualidade, bem melhores que os mais antigos, todo mundo tem direito a sua chance.

  3. Opinião

    Os arquitectos formados e inscritos na ordem dos arquitectos estão com bastante medo desses estudantes inovadores, por isso criaram bastantes dificuldades para os estudantes inscreverem depois na ordem, exigindo 2 anos de estágio, sabendo que eles antes não lhes era exigido nada disso. Parece que estão com medo de perder o mercado de trabalho já conquistado, mas se os arquitectos formados fossem tão bons assim nos seus trabalhos não teriam essa postura, parece que não se garantem…

  4. Opinião

    Ainda aparece uns arquitectos a gavarem: “eu sou incrito na ordem, tu não e será que algum dia vais ser?”… É isso que nós temos. Ajudai hoje para amanhã seres ajudado…

  5. Opinião

    Porquê esses arquitectos não se juntam a esses estudantes e desenhadores e passam a desenvolver trabalhos em conjunto em prol do desenvolvimento e melhoramento da arquitectura caboverdeana, em vez de serem egoistas e conservadores e de estarem somente fechados nos seus gabinetes?

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.