Nove anos de cadeia por assaltar pessoas e residências

8/04/2013 00:39 - Modificado em 8/04/2013 00:39
| Comentários fechados em Nove anos de cadeia por assaltar pessoas e residências

prisao3O Tribunal de São Vicente condenou um indivíduo a uma pena de nove anos de prisão pela prática de um crime de abuso de confiança e vários crimes de roubo. O arguido assaltou várias pessoas na via pública com recurso à violência e escalou algumas habitações na cidade do Mindelo para roubar equipamentos e objectos de uso pessoal.

O 1º Juízo Crime da Comarca de São Vicente procedeu à leitura da sentença de um processo-crime que acusava quatro indivíduos do crime de roubo e seis por receptação de produtos com proveniência de práticas ilícitas.

O principal arguido do processo, um indivíduo de 34 anos que cumpria prisão preventiva por participação no assalto ao Matijim Snack-bar na rua Santo António, conhecida por rua Matijim, respondeu a uma acusação de oito crimes contra pessoas, sete contra residências e um de abuso de confiança entre os anos 2008 e 2010.

O indivíduo foi acusado de escalar muros de habitações para roubar equipamentos electrónicos e electrodomésticos, entre outros objectos e de atacar na via pública pessoas retirando-lhes telemóveis, bolsas e carteiras, peças em ouro e objectos de uso pessoal.

Perante os factos, o Tribunal recolheu provas e decidiu condenar o arguido com base no seu depoimento de confissão e nas declarações das testemunhas. Mas é certo que em Tribunal ficaram provados apenas nove crimes de roubo e um de abuso de confiança que valeram ao arguido uma pena de nove anos de prisão.

Ainda, no seu veredicto final, o juiz tratou de absolver os cidadãos acusados de receptação, uma vez que o caso aconteceu entre os anos 2008 e 2010. Porque com base nas normas jurídicas houve a prescrição do crime de receptação que é punido com pena até um ano de prisão.

Por outro lado, três jovens que cumprem prisão por crimes contra pessoas e que neste processo-crime eram tidos como comparsas do principal arguido, foram absolvidos porque em Tribunal ficou provado que não cometeram o crime de roubo de que eram acusados.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.