Catamarã trava remoção do navio Mar Azul

5/04/2013 00:11 - Modificado em 5/04/2013 00:44
| Comentários fechados em Catamarã trava remoção do navio Mar Azul

CatamaranO processo de remoção da carcaça do navio Mar Azul afundado junto do cais da Interbase vai iniciar nos próximos dias. É que um catamarã atracado ao lado do Mar Azul surgiu como um entrave à empresa que vai executar o desmantelamento. Mas o certo é que as autoridades procuram a melhor solução para retirar a embarcação desse local.

Depois de falhada a tentativa de trazer o navio Mar Azul à superfície através do processo de bombagem e conduzi-lo ao cais da ex-Onave, local que reunia as melhores condições de trabalho para o desmantelamento, a empresa Desindava decidiu desmantelar a embarcação no local onde afundou em 2011.

Os responsáveis pela remoção do Mar Azul fizeram o corte do navio separando a casa das máquinas do porão. A segunda fase do processo deveria culminar com o arrastamento do navio para o cais da ex-Interbase com o auxílio de um guincho. Mas este online soube que a empresa está num impasse, uma vez que há um catamarã atracado ao lado do Mar Azul e numa zona onde irá funcionar a rampa de acesso ao pavimento do cais.

Dificuldades

O Hydrofoil “Marine Princess”, catamarã que fazia viagens Inter-ilhas enfrenta problemas de funcionamento há vários anos, por isso, foi colocado na ilha de São Vicente e, sucessivamente, atracado ao lado da carcaça do Mar Azul. Perante esta situação, a remoção do “5 de Julho” virou incógnita, na medida que a empresa ficou de “mãos atadas” e sem espaço para arrastar as peças e a carcaça.

Para resolver o problema, o NN apurou que as autoridades marítimas, os responsáveis do “Marine Princess” e a Desindava procuram a melhor solução para ultrapassar esse entrave. E que uma das alternativas que está em discussão deverá passar pela retirada da embarcação da zona de “arrastamento” e ancorá-la na Baía do Mindelo.

Quanto à remoção do Mar Azul, sabe-se que os equipamentos para concluir o processo já estão instalados no local e que a empresa Desindava vai iniciar os trabalhos assim que o “Marine Princess” deixar o cais da ex-Interbase.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.