Espectáculo do Power Boyz : depois do embuste o reembolso

4/04/2013 00:15 - Modificado em 4/04/2013 00:15

powerboyzOs cidadãos que compraram bilhetes para assistir ao espectáculo do grupo angolano Power Boyz na cidade da Ribeira Grande, não ficaram satisfeitos com o cancelamento do evento sem aviso prévio. É que não havendo os 340 mil escudos para pagar o cachê, o grupo recusou-se subir ao palco, situação que fez entornar o caldo no local.

O promotor do espectáculo do grupo Power Boyz na cidade da Ribeira Grande, ilha de Santo Antão, lamenta a ocorrência. E salienta que quem comprou o ingresso para assistir ao evento será reembolsado mediante a entrega do comprovativo “pulseira” aos membros da organização do evento em Santo Antão.

Eurico Evóra da Multi Eventos explica que o espectáculo tinha um objectivo de cariz cultural e comercial. Apesar do grupo angolano não ter comparecido no espectáculo, sublinha que não houve “desonestidade por parte da Multi Eventos, nem das pessoas de Santo Antão que fizeram parte da organização”.

Este online soube que o promotor do evento enviou 1000 bilhetes aos parceiros para serem vendidos na base de pré-venda pelo valor de 500 escudos. Questionado sobre o fracasso do evento, o entrevistado defende que a fraca a adesão do público na compra dos ingressos não permitiu recolher o dinheiro necessário para pagar o cachê, que seria pago através do dinheiro da venda de bilhetes.

 

Solução

O responsável da Multi Eventos afirma que foram vendidos cerca de 400 bilhetes, que correspondiam a cerca de 200 mil escudos. Mas o certo é que a solução encontrada por Eurico não foi ao encontro das aspirações dos elementos do Power Boyz: sem o pagamento do cachê não realizariam o espectáculo.

 

Esclarecimentos

 

 

O promotor de eventos parece ter descoberto a razão da fraca adesão“acho que o preço do bilhete prejudicou ,uma vez que analisando à posteriori as circunstâncias vê-se que esse valor não corresponde à realidade ”.

O entrevistado conclui dizendo que o dinheiro da venda dos bilhetes foi entregue aos parceiros para pagarem as despesas inerentes ao evento, de forma que não há registo de dívidas e que a Multi Eventos não encaixou qualquer cêntimo desse dinheiro.

  1. olheiro

    TAMBE TONT ARTISTA Q NO TEM NESS TERRA ES TA BA TRAZE QUES ANGOLAN E Q NEM SABE CANTA SIS PROPRIA MUSICA… TONT TCHORA CRISE POV DE C VERDE TE BA OIA QUES PALHASS LA.
    SONCENT FUI MESMA COSA CRIOL E PRO UNS BURR…BONS SHOW LA NE ACADEMIA DE MUSICA ES CA TA BA OIA SO PALERMAS.

  2. Desonesto

    Ja nos tud te acostumod q desonestidade de Eurico, nao e de agora ja Bem de ha mtos anos a esta parte. Nos tud deve lembra de 2 passagem de modelos ne escola e ele fcá q premios dos vencedores. Ne tenda ne Baia ele macaca tud gente. Bsot faze uma investigacao e bsot te oia tonte gente e q te trabaia ma ele nes eventos e ele q te pagas. Pe ele bem de Santo Antao nesse fim de semana ele teve de assina um termo de responsabilidade ne policia local, isso tava te circula ne FB. Um autentico LADRAO!!!

  3. correia

    Quem e esse tal grupo” Power boyz”, donde ques dá? Sinceramente pa pessoal te uvi qualquer barulho parecido q música es te corre sis trás, e bem feito quem compra bilhete.

  4. Gajo sério

    A minha opinião é o seguinte: o valor do cache é estipulado conforme for a situação do grupo, neste caso trata-se de um grupo em alta, pelo menos adorado pela camada mais jovem. Não se trata artistas nacionais ou internacionais. Os gostos divergem de pessoa para pessoa, nesse caso de idade para idade, o Sr. Artur não conhece o grupo, mas qualquer criança/jovem dos 10 anos neste momento conhece, não vejo mal nisso. Também não estou vendo a camada mais jovem indo para um espectáculo ouvir mornas ..

  5. Gajo sério

    Simplesmente respeitem o trabalho dos outros, ou gostem ou não da musica, cada um é livre para gostar do que quer que seja e ninguém pode querer impingir o gosto próprio a ninguém. Ou coisa, em tempos de crise o organizador, se fosse mais esperto teria negociado o cache antes de avançar, tendo em conta que os PB não podem pedir um cache em CV igual a outro pais da africa ou da europa, sao economias diferentes.

  6. Gajo sério

    E digo mais, se querem que as pessoas começam a interessar pelo produto nacional, os “artistas” que começem a trabalhar para tal, e não apelando a lei do mais facil..tteetteet..e ja ta, ja temos musica….naaaa, trabalhem, esforcem e dediquem-se

  7. CidadaoCV

    Devemos ser mais selectivos naquilo que “consumimos” e naquilo que se oferece aos consumidores. Digo aqui com muita sinceridade, eu nem graça e talvez “nem pagod” assistia a uma coisa destas. Seria um atendado ao bom senso perder qualquer tempo com estes Power Boyz.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.