Kerry foi a Bagdad pedir que o Iraque trave o envio de armas iranianas para a Síria

24/03/2013 18:14 - Modificado em 24/03/2013 19:33
| Comentários fechados em Kerry foi a Bagdad pedir que o Iraque trave o envio de armas iranianas para a Síria

kerry iraqueO secretário de Estado norte-americano, John Kerry, fez uma visita surpresa a Bagdad este domingo. Na mala levava a intenção de pedir ao primeiro-ministro Nouri al-Maliki uma maior cooperação do Governo iraquiano para lidar com a guerra civil na Síria: pediu-lhe que o Iraque trave o envio de armas iranianas que estão a ser canalizadas para o regime do Presidente Bashar al-Assad, que retiram força ao embargo internacional.

 

Em causa estão os voos iranianos que cruzam o espaço aéreo iraquiano com direcção à Síria, que se suspeita que levam armas para Assad reprimir a revolta que dura já há mais de dois anos e que as Nações Unidas dizem que já fez pelo menos 70 mil mortos. O Iraque só inspeccionou dois destes voos desde Julho – e estão a acontecer diariamente, disse uma fonte do Departamento de Estado ao diário New York Times.

 

“Ele [Kerry] vai ser muito directo com o primeiro-ministro Maliki sobre a importância de parar com os voos iranianos e os trânsitos pelo território iraquiano ou, no mínimo, sobre a necessidade de inspeccionar cada um dos voos”, disse uma fonte oficial norte-americana à agência Reuters, que também não quis ser identificada.

 

O corredor aéreo entre o Irão e a Síria que passa sobre o Iraque tornou-se a principal rota de fornecimento de armas ao regime de Assad. Rockets, mísseis anti-tanque, morteiros, granadas lançadas por rockets, e até mercenários iranianos, estão a ser canalizados para a Síria através do Iraque, dizem os Estados Unidos. E se isto acontece por via aérea, há também rotas terrestres, diz o New York Times.

 

A Síria é o principal aliado árabe do Irão, e tem apoiado o movimento islamista libanês Hezbollah, que tem sido também suportado pelo regime de Teerão. O Governo iraquiano, onde os xiitas são predominantes, tem também interesses na guerra civil da Síria: Maliki teme que a queda de Assad possa levar a que os sunitas tomem o poder em Damasco, e que isso dê novo fôlego aos sunitas no Iraque – onde um movimento islamista sunita, ligado à Al-Qaeda, está de novo a cometer atentados de grande impacto. Por isso o Governo iraquiano tem estado a tolerar os voos iranianos que levam armas para a Síria.

 

 

 

publico.pt

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.