Dois alunos do Liceu José Augusto Pinto suspensos por suspeita de consumo de marijuana

13/03/2013 01:00 - Modificado em 13/03/2013 01:53

marijuana2O NN recebeu uma denúncia que alunos da Escola Secundária José Augusto Pinto foram encontrados a consumir marijuana dentro desse estabelecimento de ensino. Sobre o assunto, o director do JAP afirma que está a decorrer um processo de averiguação para saber o que é que os dois estudantes em causa estavam a fumar. Mas o certo é que há cerca de três anos, um estudante foi encontrado na posse de estupefacientes e a PJ foi chamada a intervir.

 

A direcção do Liceu José Augusto Pinto suspendeu de forma temporária os dois alunos que foram encontrados a fumar no interior dessa escola secundária. Trata-se de dois adolescentes de 16 anos que estudam o 7º ano e o 9º ano.

Questionado sobre a situação, Emanuel Rosário, director do JAP afirma que “um contínuo encontrou dois alunos a fumar uma substância, pelo que estes foram suspensos e o processo está a ser tratado no Conselho de Disciplina. E se se confirmar que se tratava de estupefacientes, nós teremos que remeter o processo à Direcção Geral do Ensino Básico e Secundário”.

Emanuel Rosário sublinha que a primeira medida tomada pela direcção do Liceu José Augusto Pinto foi a de suspender preventivamente os estudantes em causa, para que a averiguação decorra na normalidade no Conselho de Disciplina.

 

Não foi encontrada marijuana com os alunos

 

“Não temos poder para expulsar alunos da escola, esse poder de expulsão é reservado ao Ministério da Educação. Findo o processo de averiguação, com base nos resultados, vamos informar a DGEBS e aí será decidido se os alunos regressam ou não à escola” esclarece o director do JAP.

 

Segundo o entrevistado, o processo está a decorrer pelo que “tem de ser célere, porque se eles tiverem que voltar para a escola, aquelas faltas acumuladas durante o período de suspensão deixarão de contar”.

Mas questionado sobre o facto desses estudantes terem sido apanhados a fumar marijuana, Emanuel Rosário diz que “não posso confirmar, porque fomos fazer uma vistoria às bolsas e numa não encontramos nada. Na outra, o aluno ficou muito excitado e revoltado e não podíamos abrir o saco à força, pelo que não podemos confirmar se se trata de estupefacientes ou não. Mas que estavam a fumar, estavam, e a fumar à frente de outros alunos”.

.

  1. Ve...De...

    ess artig divia tchmá “Ponta do Iceberg”

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.