Facebokeres crioulos indignados: post compara crioulas de Portugal a prostitutas

11/03/2013 00:10 - Modificado em 11/03/2013 13:43

deslikeUm post colocado no Facebook no dia internacional da mulher assinado por “Gio Ferreira” compara as estudantes crioulas que vivem em Portugal a prostitutas: “as estudantes cabo-verdianas vestem-se como prostitutas, mini-saias que mais parecem cintos”. Mas vai ao tempo da escravatura, quando as nossas avós africanas foram apanhadas nas suas casas em África como bichos e transportadas para o entreposto de escravos em Cabo Verde onde foram escravizadas e violadas sempre que o cão branco, que se fazia passar por homem, quis, para sustentar a sua comparação das nossas mulheres às prostitutas e escreve: a sua pele clara é fruto do homem branco que à noite ia ao barracão para as violar.

Depois regressa ao presente com a prostituição, seguindo a tese de um jornalista francês que escreveu: Cabo Verde “a puta do Atlântico” e sentencia no seu post “os portugueses gostam de visitar Cabo Verde porque ali encontram praias e sexo gratuito já que a escrava de pele clara está sempre pronta para procriar com o branco e originar filhos ainda mais claros em relação à progenitora”.

O autor continua a destilar racismo e xenofobia ao considerar os cabo-verdianos em Portugal como “Lixo africano”, isto porque, no seu entender, “agem como brancos e olham para os outros africanos como se fossem qualquer coisa de superiores, só porque têm a pele mais clara”.

Reacções

As reacções das crioulas no Facebook não se fizeram esperar e, em pouco tempo, havia mais de duas mil partilhas do post e outros tantos comentários. Só que na manhã de Domingo já não era possível aceder à página de “Gio Ferreira”, pois tinha sido desactivada da rede. Mas algumas reacções foram igualmente violentas, outras consideram que “esse lixo não merecia resposta”. Outros responderam que quem não sente não é filho de boa gente e desmontaram os argumentos revistos e xenófobos e devolveram as ofensas ao remetente.

  1. Dario Livramento

    Não é por nada, mas tornar um post de um idiotinha qualquer portugues numa notícia não é boa ideia…. Estão apenas a dar importancia a este post.

    Melhor forma de acabar com certas atitudes é ignora-las e não “dar tempo de antena”….

    É a mesma coisa a teimosia da imprensa nacional em publicar nome de grupos de delinquentes e chama-los thugs e assim dar-lhes importancia.

    Mais critério pede-se à comunicação social neste país.

  2. sejamos sinceros

    Sejamos sinceros connoscos mesmos. O crioulo caboverdiano não vê com desdém os outros africanos???? Li na CV nu ta fazel em relason a mandjakus. kalkuer kriolo na Pt, sabi ki kriolas ta prostitui sim, lá pa kês ladu di Técnico (I.S.T.) i na sis maioria e kriolas studantis. Anôs kriolo pa bia nu ten peli mas klaru nu ten manias di superioridadi em relason a outus africanus. Pura verdade, mesmo ki e ta duê. É ou ka é ki turistas ta ben so pamodi sexu baratu sima na loja chinêz? Nhos kontrola!!!

  3. Silvério Marques

    Esta peça não tem valor para um periódico como Notícias do Norte. Uma ideia infeliz, já meio tostão não tem troco. Mas estou a escrecer aqui por causa de afirmação totalmente falsa.
    A escravatura existiu em muitas civilizações. Antes dos europeus chegarem a Africa já havia escravatura. Veja-se o Egipto. Mas a escravatura em Africa era uma sociedade entre brancos e negros. Os brancos não entravam pelas terras a dentro a caspturar escravos. Compravam-nos aos negros em mercados especiais

  4. Silvério Marques

    Em mercados especiais existentes ao longo da costa. Os escravos eram quase sempre prisioneiros de guerra. Na Mauritânia, o século 21 há ainda escravos e em muitas regiões da Africa ainda há escravos. Mas se formos falar de escravas sexuais ainda a coisa é mais feia.
    O Notícias do Norte deveria publicar coisas ou notícias ou crónicas conm substância.

  5. Lela Veneno junior

    Eze Gio Ferreira è criolo,de origem dos bezugos de santantão, frustode e cabode ke num passa dum egnorante !!! Ma ningem tem duveda ke badiu ma mandjack são africanus puro…. Mafs,mufinos e burrus!!!!!!!!!!!

  6. Carlos Silva - Ralão

    Estou de acordo com o Dário Livramento, é preciso desvalorizar por completo a atitude xenófoba deste infeliz e não conotar a todos os portuguese, agora como disse o “sejamos sincero” temos de colocar mão na ferida, aqui em Cabo Verde estigmatiza-se os imigrantes vindos do continente, sabemos que poucos praticam atos ilícitos, e devem ser presos e enviados aos países de origem, mas a maioria vem procurar de paz e sustento das famílias, assim como os nossos imigrantes na diáspora.

  7. 2f makonnnon 7

    Mi é preto k orgulho e badiu k orgulho..nha mãe é d ilha de fogo e nha pai é badiu de praia…ilha
    mi nha vida é na mon de Deus k ta sta ,portanto pami homen é td igual ou seja kel mé não importa branco ,preto, vermelho, amarelo, cor-de-rosa ou seja o k for..nos td é igual no tem mesmos sentimentos, homen td é mafs,mofinos e burros e prova disso Sr. lela veneno jr. é kel comentário k nho poblica la..si b pensa ma b ingana b sta errado unico ero k b cometi é nao ter incluido b pp cabeça la….

  8. Jocilene

    Sejamos sinceros, nós caboverdeanos mantemos uma mentalidade escrava em acolher com a maior das simpatias os brancos e não damos o devido respeito a aquele que realmente merece ser respeitado, o nosso criolo.Sr lela, gente de Santo Antão não são “bezucos” e nem tão pouco”frsutode”somos caboverdeanos iguais a todos e cada dia que passa com muito mais orgulho

  9. Jennifer

    Da vergonha ler uma tamanha porcaria de um caboverdeano julgar outro caboverdeano de”bezuke” e “frustrode”.Sr Lela, Cabo Verde é constituido por 10 ilhas e Santo Antão não foge a regra, por isso qd estás a falar parvoices de Santo Antão devias saber que Santo Antão tb é Cabo Verde.Da nojo de tanta ignorância,vai aprender a história de cv depois escreves algo melhor………

  10. Silvério Marques

    Senhor Carlos Silva – Ralão
    Acho que o senhor está enganado. Na maior parte dos países da CEDEAO não guerra. Eu não sei das razões que levam um homem da Ghana, Nigéria, do Senagal ou Guiné Bissau ou Conakri a vir á Praia ganhar 15.000$00, quando tem emprego ou vir vender óculos de quinta categoria ou relógios falsos na rua ou ainda lavar carros. Os emigrantes cabo verdianos de primeira geração iam trabalhar para desenvolver os países de acolhimento com salários mais ou menos dignos.

  11. Silvério Marques

    EStes africanos vivem na Praia habitando 10 pessoas num quarto, sem luz ou casa de banho, em condições sub humanas. Deve-xse chamar a isso emigração ? Todos os países da CEDEAO são mil vezes mais ricos que Cabo Verde, onde semprer aparece emprego. Chegam a Cabo Verde não sei á procura de quê. No Sal a prostiuição é garantida pelas nigerianas. Mas aqui quero pedir.NÃO SE COMPARE A EMIGRAÇÃO DA CEDEAO EM CABO VERDE COM A EMIGRAÇÃO CABO VERDIANA PARA O RESTO DO MUNDO.

  12. Lela Veneno junior

    Silverio Marques parabèns pelo excelente comentario! Pà kès outru cumentador sensivel… è màs amedjor parà de oià tant novela!!….

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.