Splash levam 5 troféus mas “Mi só ki fika li” é Música do Ano

10/03/2013 22:17 - Modificado em 10/03/2013 22:17

gla cvmaA noite confirmou as expectativas do público, Splash que estavam nomeados para sete categorias e foram premiados em cinco, sagrando-se como os grandes vencedores. Mas a nomeação mais esperada da noite “Música do Ano” ficou para Michel Montrond com “Mi só ki fica li”, também premiado com “Artista Revelação”. Grace Évora ganhou na categoria de Melhor Voz masculina e Carmen Souza na feminina.

 

 

O destaque da noite também caiu sobre Bau e Carmen Souza com dois prémios e Zeca de Nha Reinalda com o prémio carreira, elogiado por todos os artistas presentes.

 

A noite da confirmação teve uma plateia cheia, mas com uma bancada Strela que não chegou a metade. O público nessa bancada não pode ter acesso aos ecrãs gigantes prometidos antes do evento.

 

A gala começou com a actuação da banda oficial dos CVMA, liderada por Kim Alves, e com um coro de vozes de concursos de televisão como Éder Monteiro, Fatu Djakité e Cremilda Medina.

 

A III edição foi apresentada por Maria João Silveira, que fez a segunda participação nos CVMA, e teve como co-apresentadores Nélson Évora e Vladimir Magalhães, este último um convidado de Angola.

 

A noite deu especial destaque a diversos discursos emotivos de artistas premiados em palco e que o público recebeu de pé e com palmas. Michel Montrond foi o grande exponencial da gala com o prémio de Música do ano que recebeu com lágrimas nos olhos e voz sentida. “Eu vim de um meio muito pobre e passei muitas dificuldades para poder continuar na música”, falou ao público, explicando o “enorme” valor daquele prémio.

 

Zeca de Nha Reinalda também teve um momento marcante com a atribuição do prémio carreira, entregue pelo Primeiro Ministro, José Maria Neves. O Rei do funaná foi descrito em palavras de humildade e agradeceu o “dom que Deus me deu”.

 

Batchart, que levou o prémio de Melhor Rap/Hip Hop com a música “És é pa bó” do álbum Wlikileaks, dedicou a conquista a São Vicente, ilha onde fez sucesso com diversos concertos no Verão de 2012, ao Hip Hop crioulo e à juventude que apontou: “Acredito que é a força da mudança de um país.”

 

O prémio de Melhor DJ, que ficou a cargo de Lefty dos Ligths Out DJS, que também marcou o evento com o seu caso pessoal. “Eu nasci nos Estados Unidos, mas os meus pais são cabo-verdianos e eles sempre me fizeram acreditar que eu podia ser o que eu quisesse e aqui estou eu, premiado nos CVMA”, falou ao público referindo o facto de ser um DJ com apenas um braço.

Os Splash foram os grandes vencedores da noite, o colectivo conseguiu o maior número de premiações de sempre na ainda curta história dos CVMA – venceram em 5 das 7 nomeações que tinham. O grupo arrecadou a categoria de Melhor Banda ao Vivo e Celebra foi considerado o Melhor Álbum Electrónico e Melhor produtor Musical. O tema “Mágua Nha Rubera” ganhou na categoria de Melhor Funaná, tema que teve a participação de Bino Branco e Princezito e “26 Horas” arrecadou os prémios de Melhor Cabo Zouk/ Cabo Love.

 

“6 on Tarrafal” de Carmen Souza foi considerado como a Melhor Morna, e a cantora como a Melhor Voz Feminina, prémios que não pôde receber em mãos por não ter podido estar presente no evento.

 

Bau foi também um dos mais nomeados com o Melhor Álbum Acústico concedido ao seu mais recente trabalho Plays Vasco Martins e Melhor Instrumentista no violão, cavaquinho e violino.

 

A Melhor Coladeira ficou para Nancy Vieira com o tema Maylen, do álbum “No Amá”, um prémio que também não pode ser entregue em pessoa.

 

Boss AC, que tinha quatro nomeações, tal como Batchart, Vasco Martins e Carmen Souza, venceu na categoria Melhor Reggae com o tema “Li kê Terra” do disco AC para os Amigos.

 

Lura foi a vencedora da nomeação para Melhor Artista em Palco, enquanto Vasco Martins ficou em primeiro na categoria de Melhor Compositor.

 

Nelson Freitas ganhou a nomeação de “Melhor Videoclipe” com “Simple Girl”, apesar de também não poder ter estado presente no evento.

 

O grupo Tradisson di Terra foi o vencedor da categoria Melhor Batuku/Kola Sanjon com o tema “Mora na Fora” do álbum Nos Bandera.

 

Já Adilson Ramos da RCV foi considerado o “Melhor Animador da Comunicação Social”.

 

A gala contou com a actuação dos nomeados dos três temas nomeadas para Música do ano: os Splash cantaram “26 horas” com Grace Évora e Laise Sanches ao microfone; Boss AC colocou a plateia a entoar “É sexta-feira”; e Michel Montrond iniciou a terceira parte da gala com a música que lhe valeu a categoria mais esperada do ano “Mi só ki fica li”.

 

Além destes também subiram ao palco os artistas convidados Shaudeh Price com “I can’t remember”; O grupo de Hip Hop Kriol Dance Movement com a apresentação de um projecto de dançar urbana; Heavy C trouxe a Cabo Verde o tema “Homem casado”; Boy G. Mendes fechou a segunda parte da gala e Diogo Nogueira foi mais uma estreia no país com o tema que o público soube acompanhar “Malandro é maladro e mané é mané”.

 

 

Gilyto, a quem foi entregue o prémio de Acção Social, aproveitou o evento para pedir à Câmara da Praia e ao primeiro-ministro, José Maria Neves, “uma casa da música para os artistas” e para uma maior divulgação da música cabo-verdiana. A que o vereador da cultura, António Lopes da Silva, respondeu que é um dos objectivos da Câmara, no entanto “a escolha do Estádio da Várzea foi boa porque o evento ficou bonito”, afirmou na gala.

 

O evento contribuiu 10% das suas receitas de bilheteira para a ADEVIC, a Associação dos Deficientes Visuais de Cabo Verde que tem como missão a formação profissional para a inclusão.A gala foi transmitida em directo pela Tiver e online através do SAPO Cabo Verde.

 

 

 

sapo.cv

  1. Lela Veneno junior

    Pa Splash gànhà tant coza fazide um cd tão froque, è pa mod musica de Cabo Verde tà mariode, ou enton è padrinhagem a mais… Dess Batchart ou seja Botchada, è tão mau qu cà mèstè nem ofender uvid de gent. Nòs uvide nè tchekerr!!!!!!!!!..

  2. Titit -S.Pedro-oland

    Beto Dias è 10000 vez màs bom duki Grace!!!!!. Ca ta dà pa intendè ess votasson…

  3. Cesar / Feroza

    Splash è mod kès sapote bedje ke o saudoze Ponk sempr tava compô. Ma sès temp djà bai diashà! Com tant talent e qualidode de musicos e vocalista cabeverdiano na munde, è estronhe ess eleisson de splash tud belorode. Serà paga de favor ou padrinhagem?… Ou sèrão as ligassoes perigosas com a Strela?… Seja como for felizmente Cabo Verde tem MAIS E TCHEU AMEDJOR!!!!!!!!!!!

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.