Milhares nas ruas no início da despedida a Chávez

7/03/2013 01:00 - Modificado em 7/03/2013 01:00
| Comentários fechados em Milhares nas ruas no início da despedida a Chávez

Hugo ChavezMilhares de venezuelanos saíram às ruas de Caracas para prestarem homenagem a Hugo Chávez. As imagens televisivas mostraram pessoas a chorar, a cantar e a tocar instrumentos, vestidas de vermelho ou com a bandeira venezuelana aos ombros. Houve bandas militares e muita gente a empunhar cartazes com a cara do ex-Presidente, num percurso que conduziu o caixão do “comandante” desde o hospital até à Academia Militar.

 

O caixão de Chávez, coberto por uma bandeira e ladeado por uma guarda de honra, saiu do hospital onde, de acordo com a informação oficial, o “comandante” morreu, e seguiu para a Academia Militar de Caracas, onde estará até sexta-feira.

 

A marcha foi acompanhada pelo som de altifalantes de onde eram emitidas frases ditas pelo próprio Hugo Chávez. Todas as escolas e universidades foram encerradas durante o resto da semana e o Governo decretou sete dias de luto nacional.

 

Fora da Venezuela também se presta homenagem ao homem que foi o Presidente venezuelano durante os últimos 14 anos. O Equador e Cuba (onde Chávez foi oeprado e tratado ao cancro) declararam três dias de luto oficial e o Presidente iraniano Mahmoud Ahmadinejad, um dos aliados de Chávez, decretou um dia de luto, classificando-o como um “mártir”, de acordo com a BBC. O Governo cubano afirmou ainda que Chávez permaneceu ao lado de Fidel Castro “como um filho”.

 

Vários líderes políticos da América Latina deslocaram-se a Caracas para a homenagem, incluindo Cristina Kirchner, Presidente da Argentina, José Mujica, Presidente do Uruguai, e Evo Morales, da Bolívia, que caminhou ao lado do caixão. A Presidente do Brasil, Dilma Rousseff, anunicou que também se juntará às cerimónias.

 

O local e a hora do funeral ainda não foram divulgados. Nas ruas, houve quem gritasse para que Chávez fosse sepultado no panteão, onde estão os restos mortais de Símon Bolívar, o venezuelano que é visto como um herói na América Latina pelo papel na conquista da independência.

 

 

publico.pt

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.