A vida marinha na Laginha insiste em viver

2/03/2013 02:04 - Modificado em 2/03/2013 02:04

A vida submarina na Laginha/Matiota continua serena e cheia de vitalidade como indicam estas fotos  tiradas ontem à tarde por Guilherme Mascarenhas. Apesar dos estudos da ENAPOR defenderem que nessa zona  a vida marinha não existe , vida brota  nos corais. A vida marinha na Laginha insiste  em viver, apesar dos crimes cometidos nessa zona , apesar da ignorância , apesar de  um acesso norte , apesar de uma Jaida e de uma CABNAVE.

  1. antónio dos santos

    É cada vez mais preocupante ver gente como o Director da Enapor Frankelin Spencer e o Presidente do IMP relativem o desaparecimento dessa biodiversidade, importante para o nosso equilibrio ambiental, com se duma cavala podre se tratasse. E esses senhores são dirigentes que este Governo paga no fim do mês, àcima dos 250 contos, fruto dos impostos que pagamos. É uma pouca vergonha e já está na altura de barrarmos entrada dessa gente nessas repartições, como fazem os estudantes do ISAC-Mar.

  2. Joaquim ALMEIDA

    Como é que a direcçao da ENAPOR pode fazer uma afirmacao destas dizendo que a vida maritima na ” Laginha ” , nao existe ??? Isso é nao querer respeitar a beleza natural duma das praias a mais frequentada de Sao Vicente e de Cabo Verde .
    A praia da ” Laginha ” , – como jà foi dito vàrias vezes – , é mais do que uma praia !..

    Um criol na Frânça ;
    Morgadinho ;

  3. antónio dos santos

    Lucas Santos que também anda à volta das tetas da vaca leiteira, devia explicar umas obras em S. Nicolau, que custaram ao erário Público milhões e que foram destruidas pelas chuvas pelo mau deesenho da obra e da sua execução, obra essa a que foi responsavel durante alguns anos. Pelos vistos está obra vez ao lado dum novo elefante branco destruidor da nossa cidade. Depois da Movec, é claro.

  4. Como referi ao Guilherme não só vida mas material endémico abunda também na área. O pequeno peixe críptico de direita fotografado, porém adulto, trata-se do raro blenídeo endémico do arquipélago – Scartella caboverdiana descrito por Bath só em 1990. A identificação foi validado pelo Dr Peter Wirtz. Ver mais – http://fishbase.nrm.se/summary/Scartella-caboverdiana.html

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.