Como se ajuda uma mulher, desempregada, sem casa e com quatro filhos para criar ?

8/05/2012 01:03 - Modificado em 8/05/2012 01:04

Valentina Dias é mãe e pai . Tem quatro filhas. A mais nova tem apenas dois meses. Valentina , mãe e pai , tudo tem feito para criar os filhos. É especialista em driblar a vida que insiste em ser madrasta.

Valentina ganhava a vida como peixeira, mas teve complicações com o nascimento da última filha e já não consegue trabalhar. Mais uma vez a vida foi madrasta: Entres idas e vindas ao hospital, remédios, tratamentos, o dinheiro que tinha amealhado para um “caso de força maior” foi gasto para não morrer. Mas, diz o povo, que “para os pobres uma desgraça nunca vem só “. E segunda desgraça é um tecto da sua casa que ameaça desabar. Todos lhe dizem para sair da casa “ pois um dia pode acontecer uma desgraça”. Mas Valentina , que é mãe e pai e que não pode trabalhar, não pode sair da casa , porque não tem para onde ir morar. Não pode alugar uma casa porque não tem dinheiro para pagar a renda “não consigo arranjar um lugar para ir com elas porque não tenho dinheiro para pagar uma renda” diz . A sua maior preocupação é a filha de dois meses . E depois de analisar o tecto deita a bebe num canto onde pensa que o tecto não vai ruir . Essa analise tem resultado para a bebé , mas Valentina há dias levou com um pedaço do tecto que … caiu. Mas, Valentina sabe que a solução passa por sair da casa. Mas não sabe como, porque não tem dinheiro para pagar mais do que os 2500 escudos que paga na casa cujo tecto vai desabar . Pagar essa renda é difícil e só consegue com ajuda do pai da filha mais nova. Valentina, mãe e pai. Valentina ,peixeira que ficou sem trabalho e as economias devido a uma doença não sabe a quem recorrer, não sabe a quem pedir ajuda. Valentina tem quatro filhos , mora em Chã de Faneco, Ribeirinha, São Vicente , sabe que a vida tem sido madrasta e as vezes quando Deus fecha uma porta nem sempre se abre uma janela . Ou abre , Valentina ? Mas em São Vicente como se ajuda uma mulher, desempregada, sem casa própria e com quatro filhos para criar ?

 

  1. adorava ter contcto com essa rapariga

  2. adorava ter contacto da rapariga

  3. Alcindo Amado

    Este é um problema social que temos em Cabo Verde inteiro. Todavia existem municípios com recursos que devem assumir as suas responsabilidades sociais.Aqui se põe um caso de investimento na infância. Quatro filhas a viver em plena miséria, provavelmente passando fome. O Município de S.Vicente pode e deve solucionar o problema desta senhora, considerando o numero de crianças sob sua responsabilidade. Primeiro atribuí-la uma habitação social desssa que são construídas para pagar favores políticos.

  4. Admirson

    Só para uma pequena correção é que ela mora em Tchâ Tiliza e não em Chã de Faneco, Ribeirinha, como foi referido na noticia, em que nos somos vizinhos e eu sou o Padrinho de umas das suas filhas e posso tb dizer que frequento sp a sua casa e de facto a situação é bastante preocupante e gostaria ainda de pedir a quem é de direito que se enterviesse ness situação pq eles realmente passaem por muitas dificuldades a referida casa não sustenta condições minimas para esta ser abitada.

  5. Tania Lopes

    ya, mulher batalhadora mesmo, com garra e com muita força de vontade. Eu espero que ultrapasses essa fase Valantass, estamos contigo, e faremos o que for necessario para te ajudar ok. Peço a todos que lerem essa noticia que a ajudem, de qualquer forma, porque ela mereçe. Força e muita coragem a familia.

  6. augusto

    “esse ê problema do governo e não do municipio”

  7. Pina

    Sem dúvida, sr Amado, é da responsabilidade da autoridade camarária a resolução desta situação. mas ainda é partilhada com cada um de nós. Esta preocupação é de todos nós, pois ela pode representar cada um de nós, pois «a vida as vezes é madrasta», e com isso as iniciativas de auxilio pode partir de cada um de nós, desde logo o simples facto de perpetuar o seu comentário já é um sinal de caridade e preocupação pelos outros. Pensem em alguma solução que envolva a comunidade são-vicentina.

  8. Lili

    Como contactar esta Sra.???

  9. Carlos Silva - Ralão

    Posso ajudar com uma cesta básica, ou mesmo alguns kilos de arroz e farinha integral (papa de cabicinha). Alguém que conhece esta Sra. pode me contactar na escola Jorge Barbosa (Pantera), onde posso entregar o meu contributo para o bem desta familia.

  10. Tu

    Acho que pelo exposto a situação dessa senhora merece um tratamento quanto antes por parte das autoridades camarárias e/ou do poder central de outras Instituições. De certeza que há muito mais familias que precisem de um tecto. Haja pessoas de bom senso com coração que olhe para elas, principalmente quando estão envolvidas crianças. Quanto há mais qualidade de vida menos problemas socias reflete no seio da comunidade. Bem haja aos……

  11. Caros leitores
    Desde já agradecemos a vossa solidariedade.
    O contacto pode ser feito para o nosso nº 231 91 94 ou email noticiasdonorte.cv@gmail.com

  12. Liliana Almada

    Por favor a idade das crianças.Obrigada

  13. Pùlù - S. Vicente

    Ajudà sim!! Ma por favor pàra de pari tambèm!!! E bo alcindo amadado, ess comentar de bosssa è o màs sem interesse de todos. Não oferece NADA NEM DIZ NADA!!!! Mi um tita ba pessoalment ajudà o màs urgent possivel na reparacao da casa. Bem Haja Noticias do Norte!!!

  14. Nenass

    Alcindo escoà dali!!! Bo ta bem sò proveità a situasson dess coitad pa fazè politica!!! Sum tava ainda ta exercè funcões como autarca,bo ca tava sirvi nem pa barre escada!!! Um ta ba judà ess pobre senhora sim!!! Viva S. Vicente sem escroques mod a bo!!!

  15. anildo

    Este é um problema social que temos em Cabo Verde inteiro, isso é verdade todos nós sabemos disso, mais é uma vergonha deste malandro do senhor alcindo amado ver aqui aproveitar dessa situaçao para fazer politica, que vergonha .Pelo menos se o senhor oferecer uma ajudinha para melhorar a situaçao dessa familia, seria bom acto,
    Cada cristao nesse terra tem direito a um grao de milho e ja chega do jogo sujo da politica Deus, protege essa familia, das um luz na sis vida, púlu tem bom coraçao

  16. A quem que é de direito estão a falar de casa para todos, porque eles não oferecem uma moradia deste a essa família e outras mais que aqui em são Vicente estão a passar pelos mesmos necessidades … esses políticos um dia tem de ser castigados porque eles não tem coração, Deus ka ta dormi … Cabo verde e de nós tudo, se nós tudo da mó tud ta ser resolvido … um mão amiga a essa família e todas as outras … são Vicente ta agradece …

  17. john santos

    Sou de acordo em apoiar esta Sra. mas em primeiro lugar, responsabilizar o pai ou pais das crianças que levaram ao abandono das crianças e chama-los na ICCA, e ou nos Tribunais, para assumirem as suas responsabilidades, e caso as crianças serem orfaos de pai , ai a coisa muda de figura , porque, mesmo que uma Instituiçao queira ajudar , sempre fazem este diagnostico, ou mesmo qualquer pessoa de boa vontade; vamos considerar esta situaçao como de prioridade urgente.

  18. Admirson

    Para quem quiser entrar em contacto directo com a família e ajudar de uma forma ou de outra tem aqui o seu numero de telef 9804852, por favor peço a quem consegue os ajudar para o fazer pois esta família precisa mesmo de ser ajudada, agradeço des de já em nome da familía.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.