Laginha : estudo de impacte ambiental detectou perigos ambientais no projecto e ordenou medidas correctivas

25/02/2013 00:22 - Modificado em 25/02/2013 00:59


O parecer final da comissão que elaborou o EIA é “condicionalmente favorável” à realização das obras “desde que aplicadas todas as medidas correctivas propostas no Estudo de Impacte Ambiental ”.

 

 

Na conferência de imprensa concedida pelo Instituto Marítimo Portuário, o mesmo distribuiu aos presentes a avaliação do estudo de impacte ambiental (EIA) das obras de “alargamento do terrapleno e da construção da nova via de acesso na zona norte do Porto Grande e a construção de um esporão na zona da Laginha”. O parecer final da comissão que elaborou o EIA é “condicionalmente favorável” à realização das obras “desde que aplicadas todas as medidas propostas no EIA”.

 

Das áreas que podem ser afectadas pelas obras estão a atmosfera, a água, o solo, a biodiversidade marinha e a paisagem. Além do aspecto socioeconómico. No aspecto paisagístico, o estudo diz que pode haver uma alteração da paisagem natural e perda na qualidade visual. Estas alterações podem acontecer pela presença física de equipamentos afectos ao projecto e funcionamento do complexo. Como medida preventiva, o relatório apresenta o seguinte: “recuperação das áreas de instalação dos estaleiros mais próximos da condição original”.

 

A perturbação e a destruição da biodiversidade marinha e a destruição de habitats, são mencionados no EIA, devido à drenagem e à construção do esporão de alargamento do terrapleno. Como medida correctiva, o relatório apresenta três pontos para inverter a situação. “Manter a possibilidade de retomo para espécies migratórias e evitar a intercepção dos corredores ecológicos”. Também espera manter as condições propícias para a circulação da fauna. E a forma como pretende preservar a biodiversidade é conduzindo a drenagem de forma cuidada.

 

Riscos de derrame de óleo e combustíveis, produção de resíduos químicos, emissão de gases poluentes e aumento de níveis sonoros são outros perigos identificados no EIA. E o projecto espera “adoptar tecnologias que possam salvaguardar os interesses socioeconómicos” através das referidas medidas correctivas discriminadas no relatório. Formação de trabalhadores, uso de carros novos, controlo na manutenção das máquinas, uso de reservatórios e de protecção de óleos, são algumas das medidas especificadas para que os trabalhos possam decorrer sem sobressaltos e que a biodiversidade seja preservada assim como todo o ambiente envolto.

  1. antónio dos santos

    Óh sr Carlos Tavares a sua preocupação é apenas o aspecto de forma? E a substância? Sabe por que o mundo está desregulado? pOR QUE HOMENS IRRESPONSAVEIS como os da Enapor e do Ministro do Ambiente entendem que eliminar uns peixinhos e uma tantas algas, não tem importancia desde que se faça obras que deem votos. Mexem com o povo e a sua praia e vão ver!

  2. José. Chantre

    Porra Carlos bo ta estod sempre a favor de tud asneira desse governo de caracaca

  3. Ó Sr. Carlos Tavares, não queremos Laginha transformada numa Piscina, Queremos a nossa Laginha com águas correntes e não mortas. Onde é que você tirou essa de piscina? Ou não conhece a Laginha.

  4. soncente

    A laginha nunca sera uma piscina o projecto nao tem impactes significativos no meio, os possiveis impactes sao de curta duracao e de pouca intensidade, o sr carlos tavares tem razao, estar de acordo com o projecto nao significa estar de acordo com o governo, mas sim favor ao desenvolvimento economico da ilha. Mesmo considerando a biodiversidade esta pode ate sofrer algum disturbio na fase inicial da construcao mas tem o seu poder de readaptar e de regenarar, alias qualquer ecossistema o tem

  5. Lima Duarte

    Sr Carlos Duarte….merecia ficar calado do que escreve uma asneira desta. Você deve ao povo de SV uma desculpa…sinceramente.

  6. Jose Lima

    sr Carlos Duarte..por favor menos..não expoe a sua ignorância..e o povo de SV agradece.

  7. Luís Fonseca

    Leviano, analfa-BURRO como sempre, o bufo do regime de partido único dos imbecis de JMN e PPires.

  8. MARIA

    Sel tem tantos “se’s e senão’s”, vão deixamdo a nossa Laginha como está, por favor!

  9. kiky

    osr carços afinal é o mais equilibrado aqui, ele tem alguma razao, ignorantes sao os que esta lhe criticando so porque tem opiniao diferente. estou consigo sr carlos, sao vicente nao evolui muito por cousa da ignorancia do seu povo

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.