São Vicente “tira duas pedras do sapato” com o lançamento da primeira pedra do acesso norte do Porto Grande e do complexo do frio

19/02/2013 23:47 - Modificado em 19/02/2013 23:47

Foi hoje lançada a primeira pedra do tão esperado complexo do frio no Mindelo que permitirá tratar, congelar e conservar produtos pesqueiros, uma mais-valia económica que era assegurada pela Interbase, entretanto destruída por um incêndio há cerca de cinco anos. Para o presidente do Conselho de Administração da Enapor, Franklin Spencer, a viabilidade desta plataforma do frio só será possível em complementaridade com o projecto do acesso norte do Porto Grande, cuja primeira pedra foi lançada ontem, 18 de Fevereiro. Poder-se-á assim dizer que nestes dois dias São Vicente tirou duas pedras do sapato, com a reunião do conselho de ministros especializado a dar frutos.

A complementaridade entre as duas obras é explicada pelo presidente do CA Enapor: “a instalação do novo complexo do frio nesta zona requer novos espaços para a sua operação, organização dos fluxos e a sua integração com as outras actividades do porto. A sua viabilidade só será possível se complementada com outro projecto em curso, ou seja, o aumento do terrapleno mas, acima de tudo, a entrada norte permitindo a criação de novos corredores de distribuição do tráfego e da sua repartição com o novo acesso”.

Co-financiado pela cooperação espanhola e executado por uma empresa do mesmo país – Friologic – o complexo do frio será um suporte da indústria pesqueira nacional e internacional, permitindo criar 200 postos de trabalho directos em São Vicente. Se esta obra está longe de gerar controvérsias, já a obra do acesso norte ao Porto Grande está envolvida em contestações várias, pelo impacte ambiental que poderá vir a causar na praia da Laginha (ver matérias relacionadas).

Desde o dia 17 que o Conselho de Ministros especializado para os assuntos económicos, inovação e competitividade (CME-AIEC) encontra-se em São Vicente para a inauguração de uma série de projectos, visitas e cerimónias cujo foco principal tem rodado em torno de actividades ligadas ao mar, no quadro da aposta do Governo de José Maria Neves em torno do Cluster do Mar. “Esta reunião em São Vicente foi para dizer a Cabo Verde e aos cabo-verdianos para nos voltarmos para o mar” disse o primeiro-ministro, José Maria Neves e adianta “estaremos dentro de poucos meses a lançar o Centro Internacional de Pesquisas Oceanográficas”.

Amanhã, dia 20, dar-se-á por encerrado o CME-AEIC, com a apresentação pública do estudo prospectivo sobre os “Recursos Humanos Estratégicos para Cabo Verde no horizonte 2013”. Este evento terá lugar no Auditório da Universidade do Mindelo pelas 18 horas.

Matérias relacionadas:

A UCID vai pedir o embargo das obras do acesso norte ao Porto Grande:
target=”_blank”>http://www.youtube.com/watch?v=98PZZwthzt0

Laginha: PCA da ENAPOR diz que a vida marinha é mínima ou inexistente, biólogos discordam:
http://noticiasdonorte.publ.cv/11187/laginha-pca-da-enapor-diz-que-a-vida-marinha-e-minima-ou-inexistente-biologos-discordam/

Laginha: incerteza entre os banhistas sobre o impacto das obras de acesso norte do Porto Grande
http://noticiasdonorte.publ.cv/11144/laginha-incerteza-entre-os-banhistas-sobre-o-impacto-das-obras-de-acesso-norte-do-porto-grande/

  1. antónio dos santos

    Qual é o tempo entre o lançamento da Pedra e a finalização dos trabalhos? Conhecemos esta história de lançamentos de Pedra e que não passaram disso mesmo.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.