“O Conselho de Administração do HBS entra para os anais da história da saúde”

18/02/2013 23:15 - Modificado em 18/02/2013 23:15

Cristina Fontes, ministra-adjunta e da Saúde afirmou que o novo CA do HBS marca o início de uma nova era na história da saúde em Cabo Verde. Segundo a ministra, o novo modelo de gestão, cujo HBS é pioneiro, projecta a ideia de uma organização complexa que exige uma gestão multifuncional, com aposta na qualidade e em eixos estratégicos que permitem dar ao HBS um nova dinâmica no sistema nacional de saúde.

 

A ministra-adjunta e da Saúde, Cristina Fontes, presidiu à cerimónia de tomada de posse do novo Conselho de Administração do Hospital Baptista de Sousa. A médica Sandra Monteiro assume as funções de directora do HBS, num núcleo de administração composto ainda pelo director clínico, Tito Lívio Rodrigues, José Brito para o cargo de Superintendente de Enfermagem e Odete Cardoso da Silva e Maria Helena Rodrigues como vogais.

A ministra da Saúde enalteceu o papel que o novo CA do Hospital Baptista de Sousa vai ter na gestão desse hospital central e sublinhou que a transferência das funções para os novos membros do Conselho de Administração representou o culminar de um processo que permite ter soluções acertadas para o HBS.

 

Qualidade

“Hoje completamos um processo que não foi fácil, mas que permitiu ter as soluções certas para um hospital central com a responsabilidade e a ambição do HBS. Trata-se, e é preciso deixar isso nos anais da história da saúde, do primeiro Conselho de Administração de um hospital central a ser empossado após o diploma que cria as novas estruturas para os hospitais centrais” afirma Cristina Fontes.

Segundo a ministra da Saúde, a nova estrutura de gestão do Hospital Baptista de Sousa representa um perfil organizacional que se pretende instituir nos hospitais centrais de Cabo Verde. Isto é, que impõem a necessidade de acabar com a redundância para projectar uma gestão de qualidade.

Cristina Fontes assegura que “fiz uma proposta ao primeiro-ministro para que tivéssemos um perfil adequado à complexidade de um hospital central. Para além da saúde, que é o negócio principal, os hospitais centrais têm sub-negócios que exigem um perfil de gestão que não se compactuam apenas com o saber medicina, enfermagem ou alguma técnica na área da saúde”.

 

Eficiência

Para a ministra da Saúde, a escolha dos novos membros do CA do Hospital Baptista de Sousa foi baseada nos princípios de certificação de qualidade e consensualidade. Por sua vez, a presidente do Conselho de Administração do HBS sublinhou que o núcleo que dirige vai utilizar com eficiência as ferramentas de gestão para a concretização dos objectivos.

“Peço a união e colaboração de todos os funcionários do HBS na execução deste projecto. Se todos nos orgulharmos do nosso local de trabalho, o utente será certamente o primeiro a notá-lo, pois é ele o centro da nossa existência” concluiu Sandra Monteiro.

  1. Prata da casa

    Parabenizar a nova directora que tem demostrado nestes 3 meses , que não fica fechada no gabinete, sabe ouvir, sabe o que quer e é firme e determinada nas decisões. á muito tempo que o Hospital merecia alguem deste nivel

  2. Medico

    A Sra. Ministra deveria explicar baseado em quê, nomeou o CA, dado que ainda não conseguiu fazer sair o regulamento interno dos hospitais que regula estas questões. Os estatutos dos HC são do tempo de BR e ainda não foram regulamentados. Ja agora, para quando o TC da Praia? Temos ouvido tantas trafulhices à mistura que valeria uma inspecção da PJ.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.